“Temos apostado na criação de um programa científico de elevada qualidade”
16/11/2016 16:17:57
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
“Temos apostado na criação de um programa científico de elevada qualidade”

A decorrer até 19 de novembro em Espinho, a Reunião Anual da Sociedade Portuguesa de Hematologia (SPH) terá como ponto alto a realização de um simpósio conjunto entre a SPH e a European Hematology Association (EHA), no último dia do evento. Em entrevista, o Prof. Doutor José Eduardo Guimarães, presidente da SPH e diretor do Serviço de Hematologia Clínica do Centro Hospitalar de São João (CHSJ), que este ano é responsável pela organização do evento, faz uma antevisão da Reunião magna da Hematologia, em Portugal, que prevê receber 500 participantes.

News Farma | Esta edição está em linha com o formato de Reuniões anteriores?
Prof. Doutor José Eduardo Guimarães (JEG) | Mantivemos o mesmo modelo de edições anteriores. Este ano, o primeiro dia de trabalhos será preenchido com três cursos, subordinados a temas distintos: Hematologia na gravidez (coordenado pelo Dr. Joaquim de Andrade); Síndromes Mielodisplásicas e Falência Medular (coordenado pelo Dr. Ricardo Pinto e pelo Prof. Doutor António Almeida) e Hematologia Molecular (coordenado pela Dr.ª Paula Gomes e pelo Prof. Doutor Manuel Sobrinho Simões). No mesmo dia, 17 de novembro, decorrerão ainda simpósios da Indústria Farmacêutica. Nos dias seguintes, teremos os habituais programas educacionais e as comunicações livres, que vão preencher grande parte do programa científico.

NF | Houve alguma novidade este ano?
JEG | Esta edição anual, tal como tem acontecido em reuniões anteriores, contará com dois programas educacionais, que decorrerão em dois dias diferentes (18 e 19 de novembro). Embora não seja uma novidade, este ano, no mesmo dia da Junior Lecture (18 novembro), protagonizada pela Dr.ª Rita Coutinho, decorrerá a Lição Abel Salazar, proferida pela Prof.ª Doutora Maria de Sousa, imunologista jubilada. Todos os anos, cada lição tem o nome de uma figura de destaque na área da Hematologia. Este ano decidimos homenagear Abel Salazar, que escreveu um livro sobre Hematologia e que, provavelmente, foi o primeiro professor a ensinar Hematologia em Portugal. Além disso, este ano, pela primeira vez, teremos um simpósio conjunto entre a SPH e a European Hematology Association (EHA), representada pelos Profs. Doutores Gert Ossenkoppele e Robin Foà (ex-presidente da EHA) e pelo Prof. Doutor Alberto Órfão.

NF | Esta edição terá um número considerável de “Lições”, muitas das quais proferidas por palestrantes internacionais. A participação de preletores estrangeiros é uma forma de elevar os parâmetros científicos deste evento?
JEG | Teremos um elevado número de convidados internacionais nesta edição da Reunião Anual, mas temos igualmente palestrantes nacionais. Este ano iremos receber a participação do Prof. Doutor Mohamad Mohty (presidente do EBMT), que ficará responsável pela Lição EBMT, subordinada ao tema “Dadores alternativos, novos condicionamentos e desenvolvimentos futuros”. Temos apostado na criação de um programa científico de elevada qualidade e, por isso, temos recebido a participação de palestrantes nacionais e internacionais, que são reconhecidos pelo seu mérito científico.

NF | O programa do evento é igualmente composto por comunicações orais e por uma visita aos posters. Qual o número de trabalhos recebido?
JEG | Haverá 30 comunicações orais e 105 posters, sendo que dois foram enviados pela Enfermagem.

NF | A Enfermagem também tem uma participação elevada nesta Reunião...
JEG | Tal como aconteceu em edições anteriores - e este ano não será exceção - decorrerão, em simultâneo, sessões dedicadas exclusivamente a enfermeiros, integradas num Programa de Enfermagem. O conteúdo programático foi desenvolvido pela Comissão Organizadora de Enfermagem composta por cinco enfermeiros (Graça Duarte, Aida Santos, António Figueira, Paulo Bessa e Sérgio Carvalho), que exercem atividade no CHSJ, no Porto.