Ainda que apresente vantagens no diagnóstico precoce de diversas patologias, incluindo o cancro, a técnica de espectroscopia Raman é ainda bastante desconhecida e pouco aplicada na prática clínica. Para contrariar esta realidade, mais de 150 investigadores europeus formaram uma rede de colaboração, denominada Raman4Clinics, no âmbito das Ações Cooperação Europeia em Ciência e Tecnologia (COST). Entre eles está uma equipa de cientistas da Unidade de I&D “Química-Física Molecular”, liderada pelo Dr. Luís Batista de Carvalho e pela Dr.ª Maria Paula Marques.

 

Publicado em Notícias

Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019