Linde Saúde abre segundo centro na região norte dedicado ao apoio no tratamento da patologia do sono
05/01/2021 15:30:47
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Linde Saúde abre segundo centro na região norte dedicado ao apoio no tratamento da patologia do sono

A Linde Saúde inaugura uma nova unidade de apoio ao tratamento de doentes com distúrbios respiratórios do sono (DRS), no Porto. Esta nova unidade, em contexto de pandemia da COVID-19, permite aliar os cuidados de proximidade à segurança dos procedimentos para assegurar a continuidade dos tratamentos, sobretudo nos doentes com mais receio das visitas domiciliárias atualmente.

 

O Centro Linde Saúde para doentes com DRS, no Porto, é um serviço complementar à terapia do sono fornecida pelo programa LISA (Leading Independent Sleep Aide). Uma unidade que junta conveniência (localização e horário), cuidados de proximidade e personalização dos cuidados prestados, ao mesmo tempo que assegura o mesmo nível de qualidade assistencial dos cuidados domiciliários.

“A preferência dos doentes por cuidados de proximidade, conveniência no acesso e uma elevada percentagem de doentes com DRS muito ativos e uma média de idade mais jovem do que a dos restantes doentes em cuidados respiratórios domiciliários, além da pandemia da COVID-19, deram-nos sinais claros da necessidade de um canal adicional para chegar aos doentes. Uma unidade que surge no final do ano após a abertura da primeira unidade em Lisboa, em maio de 2020, com excelentes resultados de utilização por parte dos doentes aliado a um elevado nível de satisfação, fruto da dedicação, da experiência e capacidade de resposta das equipas envolvidas em toda a cadeia de prestação dos cuidados”, destaca o Dr. João Tiago Pereira, product & business development manager da Linde Saúde.

Esta nova unidade vai permitir que os doentes contem com o acompanhamento de profissionais de saúde especializados onde podem realizar todos os serviços que, habitualmente, são realizados no domicílio. Podem ainda programar e agendar de acordo com a sua disponibilidade, num horário conveniente.

“Esta abordagem tem demonstrado um elevado nível de satisfação do doente, sobretudo porque é um canal de prestação opcional e intermutável, permitindo ao doente ter acesso aos cuidados domiciliários além destes cuidados de proximidade e conveniência, sempre que desejar, além de que mantém-se integrado com o nosso serviço de cuidados de saúde ao domicílio, nas regiões onde se situa o centro”, reforça ainda o Dr. João Tiago Pereira.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019