ASH 2020: Gilead e Kite partilham últimos avanços científicos em doenças hemato-oncológicas
26/11/2020 16:08:06
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
ASH 2020: Gilead e Kite partilham últimos avanços científicos em doenças hemato-oncológicas

A Gilead Sciences e a Kite, uma empresa Gilead, anunciaram que foram aceites 16 abstracts na 62.ª Reunião Anual da Sociedade Americana de Hematologia (ASH), incluindo três apresentações orais, dos seus programas de investigação e desenvolvimento de Imuno-oncologia. O encontro virtual, que decorre de 5 a 8 de dezembro, contará com apresentações sobre axicabtagene ciloleucel e outras moléculas em investigação de terapia celular com recetor antigénico quimérico (CAR) T, bem como do magrolimab, um anticorpo monoclonal anti-CD47 em investigação.

 

“A evidência que suporta a nossa inovação em doenças hemato-oncológicas continua a crescer, dando provas do impacto positivo que o nosso diversificado pipeline oncológico poderá alcançar", disse o Prof. Doutor Merdad Parsey, chief medical officer da Gilead Sciences.

O responsável acrescentou: "Continuamos a ver um enorme potencial no nosso portfólio em Oncologia - ancorado na terapia celular da Kite e no anticorpo monoclonal anti-CD47 da Gilead - para transformar os cuidados dos doentes hemato-oncológicos com elevada necessidade médica”. 

Com base nos dados a três anos apresentados na ASH 2019, serão apresentados resultados da sobrevivência global a quatro anos do ensaio ZUMA-1 do axicabtagene ciloleucel em doentes com linfoma de grandes células B refratário (Abstract #1187). Serão também apresentados vários estudos para avaliar o potencial do axicabtagene ciloleucel em novas indicações.

Os investigadores vão ainda fazer uma apresentação oral dos resultados atualizados da Fase 1b do estudo com magrolimab em doentes com leucemia mielóide aguda (LMA) sem tratamento prévio, que não podem ser submetidos a tratamento com quimioterapia intensiva, incluindo os doentes com LMA com a mutação TP53 (Abstract #330).

“Os nossos dados apresentados na ASH baseiam-se na nossa franchise CAR-T, explorando o seu potencial para aplicação em outras doenças ocológicas ", afirmou o Dr. Ken Takeshita, global head of Clinical Development da Kite.

"Ao tornarmo-nos a primeira empresa com dados de 4 anos de seguimento do estudo de registo com CAR-T no linfoma de grandes células B e ao continuarmos a expandir a nossa liderança em diferentes doenças hemato-oncológicas, continuamos empenhados em levar os benefícios das terapias celulares ao maior número possível de doentes que delas possam beneficiar”, concluiu.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019