Investigadores portugueses procuram terapia mais eficaz para o cancro do cólon
02/09/2020 16:32:20
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Investigadores portugueses procuram terapia mais eficaz para o cancro do cólon

Investigadores do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto (i3S) estão a estudar a influência dos baixos níveis de oxigénio na modelação do microambiente do cancro do cólon para encontrar uma terapia mais eficaz para a doença, anunciou recentemente a instituição.

O i3S adianta que o projeto, recentemente distinguido pelo programa de bolsas da empresa de biotecnologia NanoString, pretende entender como é que, no cancro do cólon, os baixos níveis de oxigénio (hipoxia) modelam o sistema imune no microambiente tumoral.

Liderado pela Prof.ª Doutora Ângela Amorim Costa, o projeto visa também perceber quais os mecanismos moleculares associados, o que poderá “abrir portas para o desenho de terapias alternativas e mais eficientes”, no caso dos tumores que não respondem aos tratamentos tradicionais.

A investigadora adianta que os dados preliminares obtidos pela equipa mostram que “a hipoxia afeta tanto as células cancerígenas como as células imunes, condicionando a resposta imune anti-tumoral”, algo que pode ter impacto na resposta à terapia.

“Qualquer diferença encontrada sublinha a necessidade urgente de ter em consideração as especificidades do microambiente tumoral, quando se pretende encontrar terapias mais eficientes”, refere a responsável, acrescentando ser essencial estudar tais diferenças.

A equipa de investigadores pretende agora seguir uma “perspetiva ainda explorada”, nomeadamente analisar a influencia combinada da hipoxia e das células imunes, componentes essenciais do microambiente tumoral.

De acordo com os estudiosos, esta investigação poderá ajudar a encontrar “biomarcadores de resposta à terapia, permitindo a estratificação dos pacientes e, em última análise, chegar a uma terapia anti-cancro mais eficaz”, explica a Prof.ª Doutora Ângela Amorim Costa.

A recente distinção na 1.ª edição do prémio em sinalização celular em tumores da NanoString, afirma o i3S, possibilita a utilização de uma “tecnologia de ponta na biologia celular”, bem como dar continuação ao projeto, intitulado de “The impact of hipoxia on the anti-colon cancer imune response: potential implication to immunotherapy”.

Fonte: Lusa


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019