Tratar a superobesidade com cirurgia bariátrica
19/06/2020 17:07:34
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Tratar a superobesidade com cirurgia bariátrica

Nuno Miguel Santos tem 34 anos e realizou uma cirurgia bariátrica para tratar a superobesidade de longa data. Com um peso de 252Kg, “Nuno consultou vários médicos, que tratam de obesidade em Portugal, sem sucesso. Procurou o meu nome, por indicação de alguns profissionais e iniciámos a sua avaliação em  junho de 2019”, refere o Dr. Rodrigo Carvalho de Oliveira, do Serviço de Doenças Metabólicas e Cirurgia Bariátrica do Hospital da Cruz Vermelha. Assista à entrevista completa.  

 

Antes de realizar a cirurgia no Hospital da Cruz Vermelha (HCV), em Lisboa, no passado mês de maio, Nuno Santos já não conseguia caminhar nem trabalhar. Também tinha apneia do sono e por isso fazia trabalhos durante a noite, no computador.

O primeiro passo para a mudança deu-se em outubro de 2019, quando procurou o Dr. Rodrigo Carvalho de Oliveira. “Realizei uma avaliação metabólica minuciosa, reeducação alimentar e avaliação com a equipa multidisciplinar: endocrinologista, cardiologista, nutricionista e psicólogo. Optámos pelo início de terapia intensiva médica, com inibidores do apetite injetáveis, medicações para melhora de distúrbios metabólico do colesterol, edema hepático gorduroso, ácido úrico, hipertensão e diabetes”, especifica o especialista do HCV.

O médico frisa que “a obesidade é uma doença metabólica crónica que está no fator genético” e refere que “o preconceito faz com que estes doentes não se tratem convenientemente”. De facto, o caso de Nuno serve par exemplificar que há solução.

Assim, depois da primeira fase, Nuno colocou um balão intra-gástrico, para redução drástica de peso e para diminuir eventuais riscos durante a intervenção cirúrgica. Em fevereiro 2020, “o balão intra-gástrico foi retirado, devido a várias queixas de refluxo e por ter atingido a meta dos 210Kg. Mesmo com o quadro mundial da pandemia, resolvemos agendar a cirurgia bariátrica para maio de 2020, porque havia risco de voltar a ganhar peso”, relata o Dr. Rodrigo Carvalho de Oliveira. Em entrevista, explicou mais pormenores desta intervenção cujo sucesso é evidente, bem como pormenores sobre a doença. Veja o vídeo. 

Vídeo


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019