Poliomielite regressa ao Níger após suspensão da vacinação devido à pandemia
30/04/2020 18:28:13
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Poliomielite regressa ao Níger após suspensão da vacinação devido à pandemia

A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou que o Níger foi atingido por um novo surto de poliomielite, na sequência da suspensão das atividades de vacinação durante a pandemia de COVID-19. Duas crianças terão sido infetadas pela doença transmitida pela água, tendo uma delas ficado paralisada.

 

De acordo com a OMS, o surto teve origem num vírus vivo da vacina oral que sofreu uma mutação, não estando relacionado com uma epidemia anterior de poliomielite que o Níger registou no ano passado e que já tinha sido ultrapassada.

Em casos raros, o vírus vivo da vacina oral contra a poliomielite pode evoluir para uma forma capaz de desencadear novos surtos entre as crianças não imunizadas. Para travar a epidemia é necessária uma vacinação mais direcionada.

No início deste mês, a OMS e os seus parceiros anunciaram a suspensão das atividades de vacinação contra a poliomielite até pelo menos dia 1 de junho, reconhecendo que a decisão resultaria inevitavelmente na paralisia de mais crianças.

“O poliovírus continuará inevitavelmente a circular e poderá paralisar mais crianças, uma vez que não podem ser realizadas campanhas de vacinação de alta qualidade em tempo útil”, afirmou o Dr. Pascal Mkanda, coordenador da OMS para a erradicação da poliomielite em África.

A erradicação da poliomielite exige que mais de 90% das crianças sejam imunizadas, em campanhas com milhões de profissionais de saúde, que quebrariam as orientações de distanciamento social necessárias para travar a propagação do novo coronavírus.

Em toda a África, 14 outros países estão a lutar para conter as suas epidemias de poliomielite, também elas causadas por uma mutação rara do vírus na vacina oral.

Inicialmente, a meta para a erradicação da poliomielite estava traçada em 2000, um prazo que tem sido adiado repetidamente.

Fonte: Lusa


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019