Novartis junta-se a consórcio da Fundação Bill e Melinda Gates no combate à pandemia de covid-19
30/03/2020 15:22:05
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Novartis junta-se a consórcio da Fundação Bill e Melinda Gates no combate à pandemia de covid-19

A Novartis juntou-se a um consórcio de empresas da área das ciências da vida da Fundação Bill e Melinda Gates, para acelerar o desenvolvimento, fabrico e disponibilização de vacinas, métodos de diagnóstico e tratamentos para o covid-19. As empresas vão disponibilizar bens, recursos e o seu conhecimento para ajudar a identificar soluções de combate à pandemia que está a afetar milhões de pessoas em todo o mundo.

 

“Sentimos uma enorme responsabilidade partilhada para verificar se existem áreas específicas em que a colaboração entre o setor das ciências da vida e a Fundação Bill e Melinda Gates possa acelerar a descoberta de soluções para esta pandemia. Além das contribuições individuais que as empresas já estão a fazer, a ação coletiva é fundamental para garantir que estudos promissores sobre vacinas, medicamentos e métodos de diagnóstico chegam rapidamente às pessoas afetadas por esta pandemia em todo o mundo”, refere o Dr. Vas Narasimhan, CEO da Novartis.

Estão a ser realizados testes a medicamentos existentes, a métodos de diagnóstico, compostos e potenciais vacinas em todo o mundo, com o objetivo de identificar soluções capazes de abrandar ou acabar com a pandemia. Os produtos que demonstrarem eficácia neste sentido exigem a realização de estudos clínicos, bem como um reforço na sua produção e uma capacidade de distribuição em larga escala.

De acordo com o Prof. Doutor Mark Suzman, diretor executivo da Fundação Bill e Melinda Gates, “é no setor privado que se encontram as capacidades técnicas mais avançadas, desde a descoberta de novas soluções, passando pelos ensaios clínicos, até à sua comercialização. Procuramos aproveitar esse conhecimento e experiência entre os vários parceiros, combiná-lo sempre que possível e perceber, em conjunto com os reguladores nacionais e a Organização Mundial da Saúde, como podemos ajudar a baixar a curva desta pandemia, garantindo que os resultados chegam a todos globalmente, em particular aos que se encontram em maior risco e aos que têm menos recursos”.

Após uma teleconferência com a Fundação Gates, as empresas têm estado a trabalhar para identificar ações concretas que possam acelerar a chegada de tratamentos, vacinas e diagnósticos ao terreno. Como primeiro passo, 15 empresas aceitaram partilhar as suas bibliotecas de compostos moleculares, que contenham já alguma robustez de dados de segurança e atividade, com o COVID-19 Therapeutics Accelerator, lançado pela Fundação Gates, Wellcome e Mastercard. Aqueles que verifiquem bons resultados nesta fase, avançarão para ensaios in vivo, em menos de dois meses.

“Este é um começo encorajador numa área crítica, porque se algum desses compostos for eficaz contra o covid-19, o seu percurso para aprovação e produção em escala será muito acelerado”, conclui o diretor executivo.

Algumas das empresas que fazem parte desta parceria incluem BD, Boehringer Ingelheim, bioMerieux, Eisai, Eli Lilly, Gilead, GSK, J&J, Merck (MSD), Merck (Merck KGaA), Novartis, Pfizer e Sanofi.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019