“Não existem dados científicos” que ibuprofeno agrave a infeção por coronavírus, alerta o Infarmed
16/03/2020 10:49:17
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
“Não existem dados científicos” que ibuprofeno agrave a infeção por coronavírus, alerta o Infarmed

Na sequência das declarações feitas pelo ministro da Saúde francês, o Dr. Olivier Véran, que, no passado dia 14 de março, alertou contra o uso de ibuprofeno em pessoas infetadas com o novo coronavírus, a Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) informa que “não existem, atualmente, dados científicos que confirmem um possível agravamento da infeção por coronavírus com a administração de ibuprofeno ou outros anti-inflamatórios não esteroides”.

 

O Infarmed reitera que não há motivo para os doentes que se encontrem em tratamento com os referidos medicamentos o interrompam, acrescentado que a relação entre o agravamento das infeções e a toma de ibuprofeno está a ser avaliada na União Europeia, por parte do Comité de Avaliação de Risco de Farmacovigilância da Agência Europeia do Medicamento (EMA).

A análise deverá estar concluída em maio deste ano, esperando-se que “permita esclarecer se existe uma associação entre a toma de ibuprofeno e a exacerbação das infeções”. A entidade sublinha que como o ibuprofeno é utilizado para tratar os sintomas iniciais das infeções, será “extremamente complexo determinar esta relação”.

Ainda assim, o Infarmed recomenda que o tratamento sintomático da febre seja realizado através do uso de paracetamol como primeira alternativa, mas que não existem evidências para contraindicar o uso de ibuprofeno: “Os dois medicamentos devem ser utilizados com base na informação constante do Resumo da Características do Medicamento e Folheto Informativo”, alerta o organismo.

A entidade apela ainda a que todos os doentes respeitem as indicações dos seus médicos assistentes no uso racional dos medicamentos prescritos, assegurando que continuará a acompanhar e a divulgar novas informações sobre este assunto, em articulação com a rede europeia do medicamento.

Por sua vez, a Organização Mundial da Saúde (OMS) desaconselhou, esta terça-feira, o uso de ibuprofeno para alívio de sintomas de pessoas infetadas com covid-19.

Em declarações aos jornalistas em Genebra, o DR. Christian Lindmeier, porta-voz da OMS, referiu que os especialistas das Nações Unidas "estão a analisar o assunto", mas não recomendam o uso de ibuprofeno.

“Por enquanto, recomendamos o uso de paracetamol e não de ibuprofeno como automedicação. É importante", concluiu.

As conclusões dos estudos sobre o efeito do ibuprofeno só devem ser conhecidas em maio.

 


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019