Adiado: 5.ª Conferência Portugal Saudável destaca alimentação sustentável “para nós, para o planeta”
24/02/2020 16:02:34
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Adiado: 5.ª Conferência Portugal Saudável destaca alimentação sustentável “para nós, para o planeta”

“Alimentação Saudável: Para Nós, Para o Planeta”. É este o mote da 5.ª edição da Conferência Portugal Saudável, o evento anual organizado pela Missão Continente, que teria lugar no dia 13 de março, no Pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa, tendo sido adiada. A decisão surge no seguimento das recomendações da Direção-Geral da Saúde (DGS) para eventos públicos e de massas, devido ao surto de covid-19. A iniciativa tem como objetivo reforçar o debate público sobre a importância da alimentação e do seu impacto na sustentabilidade económica, social e cultural do país. Mais informações em breve.

 

"Atendendo ao impacto do covid-19 a nível mundial, às situações de doença ocorridas na Europa, assim como às perspetivas e confirmação de casos em Portugal comunicados por parte das entidades de saúde, o Continente alia-se às instituições na salvaguarda da saúde pública", informa a entidade.

Em linha os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, a estratégia para a Neutralidade Carbónica em Portugal e o Acordo de Paris, a Missão Continente organiza a conferência que integra a agenda da “Lisboa Capital Verde Europeia 2020”.

O estudo Mudanças Climáticas e Terra do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) publicado pela ONU em agosto de 2019 alerta que o facto do nosso sistema alimentar estar a contribuir para o aumento das emissões de CO2, para a perda de ecossistemas e redução da biodiversidade. O relatório adverte que o aquecimento global só poderá ser travado com a implementação de políticas que promovam a opção por determinados regimes alimentares, numa alusão a dietas com consumos equilibrados entre proteínas animais e opções vegetais, e com o desenvolvimento de práticas agrícolas sustentáveis.

Já o relatório desenvolvido pela Comissão EAT-Lancet, confirma o papel crítico que os nossos hábitos alimentares têm na sustentabilidade ambiental e avança com o conceito da “dieta de saúde planetária”. Uma dieta que, se adotada por todos, permitiria alimentar 10 mil milhões de pessoas dentro de limites planetários seguros para a produção de alimentos até 2050, ajudaria a evitar a degradação ambiental severa e evitaria aproximadamente 11 milhões de mortes prematuras por ano.

O evento é de entrada gratuita, mediante inscrição prévia online, e junta oradores nacionais e internacionais para debater: “Serão os comportamentos alimentares a chave para a sustentabilidade do planeta?”.

Pode consultar o programa aqui.

 

Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019