1.ª Bolsa de Investigação Científica em Leucemia Linfocítica Aguda: candidaturas a decorrer
20/02/2020 14:43:30
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
1.ª Bolsa de Investigação Científica em Leucemia Linfocítica Aguda: candidaturas a decorrer

A Associação Portuguesa Contra a Leucemia (APCL) e a Sociedade Portuguesa de Hematologia (SPH), com o apoio da Amgen Biofarmacêutica, abrem as candidaturas para a 1.ª Edição da Bolsa de Investigação em Leucemia Linfocítica Aguda. Esta é uma bolsa no valor de 10 mil euros, que procura impulsionar a investigação científica e/ou epidemiológica desta doença hemato-oncológica. As candidaturas estão abertas até 15 de março.

 

A Bolsa destina-se a estudar a leucemia linfocítica aguda (LLA) em adultos e/ou em crianças. A incidência de LLA varia com a idade, ocorrendo o maior pico de incidência entre os 2 e os 5 anos de idade, diminuindo durante a adolescência e início da vida adulta, voltando a crescer de forma contínua com o envelhecimento. A LLA atinge 20%-30% das crianças com cancro representando aproximadamente 25% dos diagnósticos em crianças menores de 15 anos. É o tipo de leucemia aguda mais comum na população pediátrica, representando cerca de 75-80% dos diagnósticos e é responsável pela maioria das mortes por cancro em crianças.

A Bolsa de Investigação em Leucemia Linfocítica Aguda, dirigida a investigadores nacionais ou estrangeiros a desenvolver projetos em instituições portuguesas, foi criada com o intuito de aumentar o conhecimento sobre esta doença, o diagnóstico, o tratamento, a monitorização e a qualidade de vida dos doentes, assim como conhecer a carga desta doença em Portugal.

Para o Prof. Doutor Manuel Abecasis, presidente da APCL, “a Bolsa de Investigação Científica em Leucemia Linfocítica Aguda representa uma excelente oportunidade para todos aqueles que se interessam por esta doença poderem obter financiamento para um projeto de investigação a desenvolver sobre a mesma, não só na área clínica mas também noutros aspetos como a epidemiologia e a compatibilização da doença e seu tratamento com as atividades da vida diária dos doentes. A Amgen está novamente de parabéns ao apoiar esta iniciativa conjunta da SPH e da APCL”.

De acordo com a Dr.ª Aida Botelho de Sousa, presidente da SPH, “esta bolsa constitui um importante incentivo a projetos dos grupos envolvidos no diagnóstico e tratamento da LLA, patologia na qual é crítico melhorar os resultados, em particular no adulto”.

O Dr. Tiago Amieiro, diretor-geral da Amgen, afirma que “a Amgen apoia a investigação e o aumento do conhecimento sobre a Leucemia Linfocítica Aguda, o seu diagnóstico e tratamento, contribuindo assim desta forma para a melhoria da prática clínica atual e futura, pondo em prática a missão da AMGEN, melhorar a vida dos doentes”.

Os projetos submetidos irão ser avaliados por um júri idóneo, composto por peritos de reconhecido mérito em investigação científica e experiência profissional e/ou académica em Hemato-Oncologia em Portugal e/ou internacional, nomeado pela APCL e SPH.

Consulte todas as informações aqui.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019