CE aprova utilização de upadacitinib no tratamento de artrite reumatoide moderada a grave em adultos
09/01/2020 15:57:38
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
CE aprova utilização de upadacitinib no tratamento de artrite reumatoide moderada a grave em adultos

A Comissão Europeia (CE) aprovou a utilização de upadacitinib para o tratamento de artrite reumatoide ativa moderada a grave em doentes adultos que mostraram uma resposta adequada ou que são intolerantes a um ou mais fármacos antirreumáticos modificadores da doença (DMARD), anunciou a farmacêutica AbbVie. Upadacitinib é um inibidor de JAK seletivo e reversível, de toma diária única, e que pode ser utilizado em monoterapia ou em combinação com metotrexato (MTX).

 

“Estamos entusiasmados por poder disponibilizar este comprimido de toma diária única como nova opção terapêutica para doentes com artrite reumatoide ativa moderada a grave”, refere o Prof. Doutor Michael Severino, vice-presidente executivo da AbbVie.

“Somos uma empresa que se dedica, há quase duas décadas, à descoberta e comercialização de terapêuticas transformadoras para pessoas que sofrem de doenças reumáticas, e upadacitinib vem agora expandir o nosso portefólio de opções terapêuticas para estes doentes na Europa”, acrescenta o responsável.

A aprovação de upadacitinib pela CE baseou-se em dados do programa de Fase 3 SELECT na artrite reumatoide, que avaliou cerca de 44 mil doentes com artrite reumatoide ativa moderada a grave em cinco estudos principais: SELECT-NEXT, SELECT-BEYOND, SELECT-MONOTHERAPY, SELECT-COMPARE e SELECT-EARLY. Os estudos incluem avaliações de eficácia, segurança e tolerabilidade numa variedade de doentes, incluindo doentes que tiveram uma resposta inadequada ou que eram intolerantes a DMARD biológicos e doentes sem tratamento prévio ou com resposta inadequada (IR) a MTX.

“Quase 3 milhões de pessoas na Europa sofrem de artrite reumatoide, e a maioria das quais não alcança a remissão e pode ter dor, fadiga, rigidez matinal nas articulações e recidivas da doença”, afirmou o Prof. Doutor Ronald van Vollenhoven, do Centro de Imunologia e Reumatologia de Amesterdão, nos Países Baixos.

“Como se observou neste programa de ensaios clínicos de Fase 3 na artrite reumatoide, upadacitinib pode melhorar significativamente os sinais e sintomas da doença e ajudar mais doentes a atingir a remissão ou baixa atividade de doença”, conclui.

 

Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019