40.º Congresso Português de Geriatria e Gerontologia começa amanhã
40.º Congresso Português de Geriatria e Gerontologia começa amanhã

Decorre entre os dias 4 e 6 de dezembro a 40.ª edição do Congresso Português de Geriatria e Gerontologia, organizado pela Sociedade Portuguesa de Geriatria e Gerontologia (SPGG). Para assinalar os 40 anos da instituição, a iniciativa tem como objetivo apresentar os desenvolvimentos da Medicina Geriátrica ao longo dos anos, em áreas tão distintas como o envelhecimento demográfico, a patologia do sono, a síndrome de fragilidade, entre outras.

 

“A prestação de cuidados de saúde aos idosos constitui uma proporção cada vez maior da atividade clínica em Portugal. O grupo etário com mais de 65 anos constitui cerca de 20% da população portuguesa, para além de que é sobretudo o grupo com mais de 85 anos o que mais cresce. Muitos epidemiologistas e demógrafos consideram que o futuro dos cuidados médicos é o da medicina dos idosos”, refere o Prof. Doutor Manuel Carrageta, presidente do congresso e da SPGG, na mensagem de boas vindas anexada ao programa da sessão.

O especialista explica ainda que o Sistema Nacional de Saúde (SNS) não está preparado para lidar com esta camada da população, que exige cuidados mais especializados: “há deficiência na formação na área geriátrica e na quantidade de profissionais disponíveis, na estrutura física e organizativa da rede para atender as necessidades de saúde dos idosos. A resultante demora no atendimento das consultas, acaba por levar ao agravamento do quadro clínico e à procura tardia e excessiva das urgências, com internamentos que de outro modo podiam ser evitados. Este congresso pretende contribuir para um melhor conhecimento científico na área do envelhecimento e, em consequência, contribuir também para melhores cuidados a prestar às pessoas idosas”, acrescenta o Prof. Doutor Manuel Carrageta.

Já a Dr.ª Maria João Quintela, vice-presidente do congresso e da SPGG, sumariza a conferência como um espaço de reflexão “sobre os padrões de envelhecimento demográfico e de saúde, para realçar exemplos de envelhecimento ativo, valorizar a longevidade, evidenciar a urgência da valorização das ações multidisciplinares e integradas, combater os estereótipos negativos e melhorar a qualidade dos cuidados”.

Veja aqui o programa na íntegra.

Para mais informações, consulte a página do evento.

 


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019