Lisboa junta-se ao projeto Cities Changing Diabetes
02/12/2019 17:20:54
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Lisboa junta-se ao projeto Cities Changing Diabetes

A entrada de Lisboa no movimento Cities Changing Diabetes, que determina que o aumento da prevalência da diabetes não é evitável, foi marcada pela assinatura do Memorando de Entendimento de Cooperação, no Museu da Lisboa – Palácio Pimenta, no passado dia 29 de novembro.

 

O documento, assinado pela Câmara Municipal de Lisboa, a Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (APDP), a Administração Regional da Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, a NOVA Medical School | Faculdade de Ciências Médicas e pela Novo Nordisk Portugal, determina que todas as partes envolvidas desenvolvam atividades de sensibilização para a diabetes em Lisboa, a 9.ª cidade a juntar-se ao movimento.

A iniciativa representa uma oportunidade para melhorar a vida das pessoas com diabetes e de quem está em risco de desenvolver a doença, que atinge cerca de 10,5% da população da região de Lisboa e Vale do Tejo. Dado o papel dos meios urbanos no combate à patologia, já que dois terços das pessoas com diabetes vivem em cidades, a campanha permitirá que as entidades envolvidas cooperem com vários parceiros no sentido de desenvolver estratégias de controlo e combate à patologia.

“É com enorme satisfação que vemos Lisboa integrar esta iniciativa internacional que apela ao papel ativo das cidades no combate à diabetes. Hoje em dia sabe-se que o estilo de vida urbano, com uma alimentação hipercalórica, o sedentarismo, o stress, as escolhas alimentares pouco saudáveis, entre outros, estão muito associados a uma maior incidência da diabetes, obesidade e outras doenças associadas pelo que urge combater esta tendência”, refere o Dr. José Manuel Boavida, presidente da APDP.

“O aumento da diabetes não é sustentável – seja para a sociedade, os sistemas de saúde, as empresas ou mesmo a economia. A medicina desempenha um papel crucial no tratamento da diabetes, mas se queremos travar o aumento catastrófico desta doença, tem de haver um foco na prevenção e no estilo de vida. Devemos trabalhar juntos em projetos sociais para controlar a epidemia da diabetes, caso contrário, a doença colocará em risco a viabilidade dos próprios sistemas de saúde”, acrescenta a Dr.ª Anja Salehar, diretora-geral da Novo Nordisk Portugal.

O programa Cities Changing Diabetes teve início em 2014, em colaboração entre a Novo Nordisk com a University College London e o Steno Diabetes Center Copenhagen. A iniciativa, que começou com a Cidade do México, integra hoje 26 cidades, que adotam diferentes ações para a promoção da saúde consoante o seu contexto económico, social e cultural.

 

Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019