UNICEF e Gavi exigem standards GS1 nas vacinas
07/11/2019 15:48:20
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
UNICEF e Gavi exigem standards GS1 nas vacinas

Até 31 de dezembro de 2021 todos os concursos para campanhas de imunização promovidas pela UNICEF e financiadas pela Gavi, the Vaccine Alliance nos países em desenvolvimento terão os códigos de barras GS1 nas embalagens secundárias de vacinas, com o objetivo de melhorar a rastreabilidade, contribuindo para a segurança dos pacientes

A UNICEF e a Gavi, the Vaccine Alliance - organização internacional que promove o acesso à vacinação nos países em vias de desenvolvimento – acabam de anunciar que até 31 de dezembro de 2021 todos os concursos para programas de vacinação lançados pela UNICEF e financiados pela GAVI, passarão a incluir códigos de barras GS1 nas embalagens secundárias. Este requisito tem como objetivo melhorar a identificação, rotulagem e partilha de dados em toda a cadeia de valor da imunização e, de forma mais genérica, da saúde.

Os standards GS1 garantem a rastreabilidade das vacinas e a visibilidade dos dados ao longo da cadeia de valor, o que contribui para a segurança dos indivíduos a quem a imunização é administrada e para a garantia de qualidade dos tratamentos. Desde 2015 que a UNICEF recomenda o uso de standards GS1 nas embalagens secundárias das vacinas.  

A GS1 compromete-se em disponibilizar apoio aos parceiros da Gavi na atualização das recomendações técnicas e no desenvolvimento de um plano de implementação faseado da implementação com recurso aos standards da GS1.

“A área da saúde, e em especial a vacinação, é um dos pilares fundamentais para o bem-estar das populações de todo o mundo. A correta aplicação de medicamentos e a consequente eficiência do tratamento é um dos mais importantes benefícios da implementação de standards globais nesta área. A GS1 e a GS1 Portugal veem na decisão da UNICEF e da GAVI, ao escolherem os standards GS1 para melhorar a visibilidade e rastreabilidade das vacinas, o cabal reconhecimento do potencial dos nossos standards, neste caso contribuindo para a promoção da saúde e segurança dos indivíduos e pacientes”, explica o Dr. João de Castro Guimarães, diretor-executivo da GS1 Portugal.

A adoção de standards na saúde e os seus benefícios é um dos grandes temas da GS1 em discussão na 36ª conferência Global GS1 Healthcare em Nova Deli, na Índia, onde órgãos reguladores, organizações internacionais e mais de 330 participantes de todo o mundo se juntam para discutir a temática “Cuidados de saúde mais seguros e mais eficientes começam com um simples scan”. O evento que se realiza de 5 a 7 de novembro tem como foco a segurança do paciente e incide no rastreio e acesso a medicamentos seguros; nos hospitais que trabalham para uma melhor qualidade de cuidados e maior eficiência e a Identificação Única de Dispositivo (UDI).

Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019