Intervenção para ajudar pessoas em risco de demência desenhada pela Universidade do Porto
04/11/2019 17:21:26
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Intervenção para ajudar pessoas em risco de demência desenhada pela Universidade do Porto

Ajudar a prevenir a deterioração cognitiva de pessoas que estão em risco de desenvolver demência é o objetivo do projeto “MIND – Multiple interventions to prevent cognitive decline”, coordenado pelo ACeS Porto Ocidental e concetualizado em conjunto com várias instituições parceiras, incluindo o Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP), a Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação (FCNAUP) e a Faculdade de Desporto (FADEUP).

“Com o défice cognitivo ligeiro os indivíduos conseguem ainda ser autónomos para a realização das suas tarefas do dia-a-dia. Mas a partir do momento em que se atinge a demência, a situação é irreversível e as pessoas passam a necessitar, habitualmente, de um cuidador. Por isso, o que queremos é travar a evolução para esta condição”, explica o Prof. Doutor Firmino Machado, investigador do ISPUP e coordenador do projeto.

Cinco linhas de ação

O MIND delineou cinco intervenções gratuitas, não farmacológicas, para ajudar a prevenir o aparecimento de demência num conjunto de utentes (50, no total) do ACeS Porto Ocidental. Três destas intervenções são apontadas pela literatura como sendo efetivas para prevenir a deterioração cognitiva de pessoas que estão em risco de desenvolver demência.

O programa do projeto consiste em sessões regulares de: treino cognitivo; exercício físico dinamizado por um fisiologista do desporto; promoção de uma alimentação saudável, com aulas de culinária e incentivo à confeção de uma receita saudável e posterior degustação da mesma; avaliação auditiva no início do programa (com oferta de aparelho auditivo, se necessário); e adaptação à perda de memória, em que se ensina os utentes a usarem estratégias para lidarem com a perda de memória ou perda de outras funções cerebrais.

As intervenções com os utentes da zona do Porto Ocidental estão a ser desenvolvidas nas Unidades de Cuidados na Comunidade Cuidar e da Boavista e na Associação “A Beneficência Familiar – Associação de Socorros Mútuos”.

Segundo o investigador, “as avaliações dos utentes do ACeS Porto Ocidental arrancaram na segunda semana de setembro e o objetivo é que se estendam por dez meses. A conceptualização do projeto aconteceu em janeiro deste ano e em julho deu-se o recrutamento dos utentes”.

No dia 20 de setembro, o projeto recebeu uma distinção de mérito pela Sociedade Portuguesa do AVC (SPAVC) – uma das entidades parceiras do MIND – que lhe atribuiu também um apoio financeiro. Nesse mesmo dia teve lugar a apresentação formal do projeto, a qual reuniu, pela primeira vez, todos os parceiros do programa.

Para além do ISPUP, da FADEUP, da FCNAUP e da SPAVC, são parceiros do MIND o Centro Hospitalar Universitário do Porto, o Centro Hospitalar Universitário S. João, a União de Freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde, a Associação Beneficiência Familiar, a Neuroinova, a Widex, a Fruta Feia e a Entreajuda.

É de sublinhar que a demência é diagnosticada em aproximadamente uma em cada 100 pessoas, com mais de 55 anos, em Portugal. Neste momento, não existem ainda medicamentos que possam ajudar a impedir a evolução de défice cognitivo ligeiro para demência.

Fonte: Universidade do Porto

Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019