Mais de 800 profissionais de Espanha e Portugal reúnem-se para abordar os desafios dos Cuidados Paliativos
25/10/2019 15:54:50
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Mais de 800 profissionais de Espanha e Portugal reúnem-se para abordar os desafios dos Cuidados Paliativos

Mais de 800 profissionais de Espanha e Portugal reúnem-se hoje, dia 25 de outubro, e amanhã, dia 26 de outubro, no Palácio de Congressos e Exposições de Santiago de Compostela para participar nas “XIII Jornadas Internacionales de la Sociedad Española de Cuidados Paliativos (SECPAL) y las IX Jornadas de la Sociedade Galega de Coidados Paliativos (Sogacopal)”, que pela primeira vez se reúnem em estreita colaboração com a Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos (APCP).

Durante o encontro, organizado sob o tema “Adequação de cuidados”, alguns dos maiores especialistas nacionais e internacionais nesta área abordarão os principais desafios que se colocam na hora de dar resposta às novas necessidades dos doentes com doença avançada ou que se encontram em fim de vida.

As mais de 400 comunicações científicas recebidas mostram o interesse que este encontro provocou, a partir de uma abordagem inovadora, que coloca em cima da mesa questões como a importância da colaboração luso-espanhola na área dos Cuidados Paliativos, as necessidades paliativas nos doentes oncológicos, o respeito e a dignidade na doença avançada, a fraca formação especializada nas Universidades e a relevância de saber cuidar de si para cuidar do outro.

Além disso, o programa científico das Jornadas Internacionais também aborda temas da atualidade, como a tomada de decisões em fim de vida, de modo a que se proporcionem fóruns de reflexão em torno de questões como a eutanásia, o suicídio medicamente assistido, a perspetiva bioética no processo da morte, o testamento vital ou diretiva antecipada de vontade.

“Iremos contar com um dos juízes mais experientes de Espanha ligados às questões da eutanásia e direito à morte digna. É um tema “quente”, por isso estas sessões serão de grande relevância e atualidade” explica o Prof. Doutor Miguel Ángel Núñez, presidente do Comité Científico.

O encontro inclui seis mesas de debate, sete seminários, três simpósios e a presentação das melhores comunicações, e ainda de quatro cursos pré-congresso e três sessões plenárias. A sessão de abertura ficará a cargo do Dr. Duarte Soares, presidente da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos (APCP), que irá abordar o tema “Cuidados Paliativos em Espanha e Portugal: Construindo pontes”.

“Este é o primeiro encontro internacional que fazemos em colaboração com o nosso país vizinho, com a presença do Comité Científico. Devido à nossa ligação só poderíamos fazer este encontro na Galiza, sendo que já temos também em vista a América Latina”, explica o Dr. Marcelino Mosquera, presidente do Comité da Organização das Jornadas.

“Temos que avançar na relação com o doente, cuidar como profissionais, uniformizar critérios, mudar o papel de acordo com as exigências do doente e ter maior coordenação no campo socio-ambiental”, afirma o Dr. Marcelino Mosquera. Por sua vez, o Prof. Doutor Miguel Ángel Núñez destaca o desafio “adaptar-se às necessidades do doente em situação paliativa, evitar tratamentos em situação paliativa, evitar tratamentos despropositados ou desnecessários, sempre com uma atenção multidisciplinar, uma visão biopsicosocial levada ao extremo, que é precisamente a base dos Cuidados Paliativos”.

Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019