Prémio de “Investigação em Medicina Regenerativa” ganho por investigador português
21/10/2019 16:49:28
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Prémio de “Investigação em Medicina Regenerativa” ganho por investigador português

O artigo científico Prolonged intracellular accumulation of light-inducible nanoparticles in leukemia cells allows their remote activation da co-autoria dos investigadores Dr. Emanuel Quartin e Dr. Carlos Boto, do Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC), Universidade de Coimbra, é o grande vencedor da 1.ª edição do prémio "Investigação em Medicina Regenerativa", atribuído pela Sociedade Portuguesa de Células Estaminais e Terapia Celular (SPCE-TC) e pela Crioestaminal.

Neste trabalho foi desenvolvimento de um sistema de transporte e entrega de fármacos que possibilita um maior controlo e precisão de terapias focadas na medula óssea. Utilizando a leucemia mieloide aguda como modelo de estudo foi possível produzir uma formulação quimioterapêutica mais eficiente e que permite diminuir os fortes efeitos secundários. Além disso, demonstrou-se que é possível tirar vantagem do sistema de “GPS natural” de células leucémicas, utilizando-as como “cavalo de troia” para transportar a formulação quimioterapêutica até ao local exato da medula óssea onde se encontra o reservatório das células responsáveis pela resistência e propagação da doença.

Segundo o investigador Dr. Emanuel Quartin, presentemente cientista visitante no Imperial College, London, “atualmente, esta tecnologia está a ser estudada para futuras aplicações, não só no tratamento de leucemia, mas também em medicina regenerativa, como é o caso do transplante de medula óssea”.

O Prémio de "Investigação em Medicina Regenerativa", lançado este ano pela Crioestaminal e a SPCE-TC, tem como propósito distinguir a melhor publicação de índole básica ou aplicada na área da Medicina Regenerativa. A este Prémio podem candidataramse investigadores nacionais ou estrangeiros, com projetos total ou parcialmente realizados em instituições portuguesas e publicados no biénio anterior à sua atribuição.

Este ano, as áreas que concorreram ao prémio foram essencialmente de drug delivery, importância das condições de cultura das células para a sua diferenciação e uso das células estaminais para o screening e avaliação toxicológica de fármacos.

Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019