Sociedade Portuguesa de Pneumologia alerta profissionais de saúde para vacinação
15/10/2019 17:31:25
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Sociedade Portuguesa de Pneumologia alerta profissionais de saúde para vacinação

A Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP), mediante a Comissão de Trabalho de Infecciologia Respiratória, alerta para a importância da vacinação contra a gripe sazonal, principalmente no que diz respeito aos doentes crónicos e aos profissionais de saúde. A época de vacinação antigripal iniciou a 14 de outubro. 

Os profissionais de saúde, que podem transmitir a gripe inadvertidamente, têm um papel fundamental na vacinação, visto que “por um lado, enquanto prestadores de cuidados de saúde, estão bastante expostos aos agentes infeciosos podendo, eles mesmo, promover a transmissão de infeções e, por outro, são decisivos para que a população em geral e as pessoas com doença crónica se vacinem: 60% das pessoas vacinaram-se por recomendação do profissional de saúde”, revelam o Dr. Filipe Froes e a Dr.ª Cátia Caneiras, representantes da SPP. 

Ainda que de ano a ano se verifique um aumento no que toca a cobertura vacinal, apenas cerca de 50% dos profissionais de saúde e dos indivíduos com doença crónica fizeram a vacina no ano passado. Deste modo, há ainda um longo caminho a percorrer para atingir a meta de 75% de cobertura vacinal na população com idade igual ou superior a 65 anos, definida pela União Europeia. 

A vacinação contra a gripe é recomendada a pessoas com idade igual ou superior a 65 anos, indivíduos com seis ou mais meses de idade com doença crónica ou imunodeprimidos, grávidas, profissionais de saúde e outros prestadores de cuidados, segundo a Norma de Orientação Clínica da Direção Geral da Saúde, publicada na semana passada. 

Para os grupos prioritários mencionados, a vacina contra a gripe é gratuita, no Serviço Nacional de Saúde, e pode ser administrada nos Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES)/Unidades Locais de Saúde (ULS). Para as pessoas não abrangidas pela vacinação gratuita, esta é dispensada nas farmácias através de prescrição médica, tendo comparticipação de 37%.

Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019