Ser doente crónico em Portugal em análise no 3.º Congresso APDI
08/10/2019 15:09:00
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Ser doente crónico em Portugal em análise no 3.º Congresso APDI

A Associação Portuguesa da Doença Inflamatória do Intestino (APDI) vai realizar no próximo dia 12 de outubro, na Sede da Secção Regional do Norte da Ordem dos Farmacêuticos, Porto, o 3º Congresso APDI, sob o tema “Ser doente crónico em Portugal: a DII e o SNS”. 

A APDI reuniu para este debate um conjunto de especialistas e responsáveis de diversas áreas: Clínica, Investigação, Medicamento, Administração Hospitalar, Psicologia, Enfermagem, Nutrição, Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia, Ordem dos Médicos e Ordem dos Farmacêuticos, entre outros. 

O encontro visa abordar e propor soluções para as dificuldades sentidas pelos doentes que vivem com doença inflamatória do intestino (DII), nomeadamente associadas a uma abordagem integrada e multidisciplinar nos cuidados prestados no Serviço Nacional de Saúde e equidade no acesso à inovação terapêutica, entre outros. 

Para a Dr.ª Ana Sampaio, presidente da APDI é fundamental, “numa altura que se comemoram os 40 anos do SNS que se dê voz aos doentes para que os profissionais de saúde os ajudem a alcançar uma melhor qualidade de vida.”

Neste sentido, será apresentada a realidade vivida em França. A Dr.ª Chantal Dufresne, presidente da AFA (associação francesa de DII), vai responder à questão “França aqui tão perto - a mesma realidade na Doença Inflamatória do Intestino?”

A reunião visa ainda abordar as mudanças esperadas no tratamento da DII na próxima década, quer no âmbito da investigação, as novas linhas de tratamento e medicamentos inovadores, bem como o futuro no modelo de abordagem à DII.

O 3.º Congresso APDI decorre ao longo de todo o dia 12 de outubro e conta ainda com um painel dedicado ao “Bem-estar e qualidade de vida na Doença Inflamatória do Intestino”, cuja análise incide nas perspetivas da psicologia e nutrição, dois fatores determinantes na capacitação dos doentes para uma gestão e controlo adequados da DII.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019