Défice de vitamina D: uma realidade moderna
17/06/2019 16:16:10
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Défice de vitamina D: uma realidade moderna

É reconhecida a prevalência de défice de vitamina D em Portugal. Ainda que seja um país de sol, a população tem hábitos de vida modernos que resultam na ausência de exposição solar na duração suficiente e nas horas indicadas. Crianças com hábitos de brincar em casa e não no exterior, e uma vida globalmente confinada a edifícios fechados confirmam a tendência, além das alterações nos hábitos alimentares que também têm um impacto negativo nos valores de vitamina D.

No âmbito da participação do Dr. Viriato Horta, médico de Medicina Geral e Familiar, num evento de formação para profissionais de saúde, onde será abordada a temática “A Insuficiência de Vitamina D em Portugal e o papel do farmacêutico, o especialista explica que “a vitamina D tem vindo a ganhar importância ao longo do tempo. Primitivamente achávamos que a vitamina D só era importante para a saúde do osso e depois veio-se a verificar que é muito importante para a regulação de várias hormonas e para o bom funcionamento do aparelho cardiovascular, do cérebro e do sistema imunitário. Deste modo a vitamina D saiu do campo restrito da Reumatologia e é hoje usada em muitas especialidades médicas.”

Esta utilização de vitamina D é obrigatória em todos os bebés durante o primeiro ano de vida, de acordo com recomendações nacionais e internacionais. As recomendações internacionais alargam-se a todas as crianças até aos 18 anos que pertençam a grupos de risco, nomeadamente com obesidade, pele escura ou com indevida exposição solar (sem atividade ao ar livre, por exemplo).

Na idade adulta, pessoas acima dos 65 anos são o principal grupo alvo das recomendações da maioria das especialidades médicas, mas, uma vez mais, os grupos de risco requerem especial atenção. Nas recomendações de suplementação para os adultos, a osteoporose é a doença que requer de forma genérica mais indicações por parte dos especialistas.

A importância da vitamina D para as várias funções fisiológicas tem vindo a  reunir cada vez mais consenso entre os vários profissionais de saúde que reforçam que parece ser cada vez mais relevante o alargamento de suplementação com vitamina D em toda a população.

Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019