Estudo pioneiro com gémeos explica relação entre genética e estilo de vida
14/06/2019 16:27:45
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Estudo pioneiro com gémeos explica relação entre genética e estilo de vida

Um estudo realizado pelo King's College London, em colaboração com o Massachusetts General Hospital e a Universidade de Stanford nos EUA, analisou os efeitos que diferentes tipos de alimentos têm sobre cada pessoa. Para isso, a equipa de investigadores examinou uma amostra de 1.100 participantes, na maioria dos casos gémeos idênticos, algo particularmente relevante para considerar os efeitos da genética.

A investigação concluiu que os "macronutrientes" (açúcar, gordura e proteína) explicam menos de 30% da resposta do corpo aos alimentos.

Os resultados avançam que a genética também não parece ser a explicação para o facto de algumas pessoas terem uma tendência maior para engordar. 

O fator aparentemente determinante é o estilo de vida como por exemplo, a quantidade de horas que se dorme ou o exercício físico que se pratica.

Um gémeo pode não apresentar alterações na quantidade de açúcar no sangue se praticar exercício após uma refeição rica em hidratos de carbono, enquanto o açúcar no sangue do outro gémeo, após a mesma refeição, aumenta caso ele não tenha tido uma boa noite de sono. Ou seja, a resposta do corpo pode ser melhorada através de uma alteração do nosso estilo de vida.

Descobriu-se ainda que o número de bactérias presentes no intestino também afetou a resposta de cada participante a determinados alimentos. Um dos testes teve em consideração a flora intestinal, e a investigação concluiu que quanto mais espécies de bactérias no intestino, melhor era o processamento de alimentos e nutrientes.

O estudo foi apresentado esta semana na conferência norte-americana American Society for Nutrition.

Fonte: Visão


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019