Hospitais privados apresentam 12 reivindicações em cimeira ibérica
28/05/2019 14:54:13
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Hospitais privados apresentam 12 reivindicações em cimeira ibérica

A Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP) e a Alianza de la Sanidad Privada Española (ASPE), estruturas representativas da hospitalização privada de Portugal e Espanha, dinamizam, na próxima quinta-feira, dia 30 de maio, entre 9h00 e as 13h00, no Myriad Cristal Center, em Lisboa, a II Cimeira Ibérica de Hospitais Privados.

 

Para além de aprofundar o diálogo entre as unidades privadas dos dois países e debater desafios e constrangimentos ao desenvolvimento da hospitalização privada ibérica, este segundo encontro será marcado pela apresentação e assinatura de um manifesto conjunto.

Neste documento, os hospitais privados de Portugal e Espanha consideram que o setor da Saúde vive "um verdadeiro paradoxo", já que os sistemas nacionais de Saúde, criados num período de relativa prosperidade, enfrentam hoje sérios constrangimentos para suportar a despesa crescente.

"Apesar de vivermos numa era de avanço científico, progresso económico e estabilidade social, os pilares financeiros dos sistemas de saúde estão cada vez mais frágeis", lê-se no referido documento, que resulta de uma reflexão conjunta.

Na verdade, o financiamento público do Serviço Nacional de Saúde (SNS) em Portugal e Espanha é inferior à média dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), bem como à média da União Europeia (UE). Em paralelo, os hospitais privados, nos dois países, afirmam-se, há mais de uma década, como parceiros de referência dos cidadãos.

Em Portugal, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), o contributo dos hospitais privados para o SNS é significativo e crescente. Desde 2016, os hospitais privados estão em maioria (são 114 de 225) e revelam um aumento de atividade em todas as áreas. O número de atendimentos nos serviços de Urgência, de consultas médicas, de atos complementares de diagnóstico e de atos complementares de terapêutica aumentaram entre 2005 e 2017, sempre de forma mais expressiva nos hospitais privados.

O INE assegura, ainda, que os hospitais privados são responsáveis por mais de um milhão e 200 mil episódios de Urgência, garantem 6,6 milhões de consultas de especialidade e realizam mais de 250 mil grandes e médias cirurgias. Em Portugal existem mais de 2,5 milhões de pessoas com seguros de Saúde.

Em Espanha, a Saúde privada é um importante setor produtivo. Representa 57% do número de hospitais - 451 privados, 337 públicos -, 3,5% do PIB do país (36 mil milhões de euros) e quase 37% de todos os gastos em Saúde. Em média, a Saúde privada realiza entre 30% das atividades de saúde na Espanha, razão pela qual contribui decisivamente para descongestionar o SNS e garantir a sua sustentabilidade, tanto económica como operacionalmente. Em Espanha, existem quase 10 milhões de pessoas com seguro de saúde privado (dois milhões são funcionários públicos).

"Este é o contexto que, conjugado com o subfinanciamento do setor público, justifica o aumento da importância do capital privado, visando a sustentabilidade do sistema. Se Portugal e Espanha pretendem evitar desmantelar os sistemas universais de Saúde, estes devem ser orientados para os resultados, que são os que realmente importam aos pacientes", assegura o Dr. Oscar Gaspar, presidente da APHP.

"Os ganhos com o investimento privado foram essenciais para aumentar a oferta e o acesso a cuidados de Saúde em Espanha e Portugal, mas os seus benefícios podem e devem ir para além da prestação de cuidados numa ótica estritamente privada. A eficiência privada está também ao serviço do setor público da Saúde", explica a Dr.ª Cristina Contel, presidente da ASPE.

No manifesto conjunto, que será apresentado durante a Cimeira, serão expressas 12 reivindicações, que convergem para a maior colaboração público – privado, enquanto garante de um sistema de Saúde capaz de manter o valor da sua promessa: todos podem beneficiar do acesso a uma rede de serviços de Saúde adequada e diferenciada.

O programa da Cimeira pode ser consultado nesta ligação


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019