Bolsa Celgene 2019: 10 mil euros para projetos centrados em doenças oncológicas e crónicas debilitantes do sistema nervoso
08/05/2019 14:37:02
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Bolsa Celgene 2019: 10 mil euros para projetos centrados em doenças oncológicas e crónicas debilitantes do sistema nervoso

Jã estão a decorrer as candidaturas à Bolsa Celgene 2019. Tem o valor de 10 mil euros e pretende para novos projetos centrados nas pessoas com doenças oncológicas e doenças crónicas debilitantes do sistema nervoso. Esta iniciativa tem como objetivo apoiar o financiamento de projetos que apresentem soluções inovadoras para as necessidades não-clínicas dos doentes e dos seus cuidadores e novas formas de aproximar os doentes para uma melhor gestão da sua doença, de forma a incrementar a qualidade de vida. O prazo para a submissão de candidaturas termina no dia 15 de junho.

 

O projeto, que se direciona a instituições portuguesas sem fins lucrativos como associações de doentes, sociedades científicas e profissionais e outras entidades coletivas, pretende dinamizar e contribuir para o surgimento de novas ideias na disponibilização e prestação de cuidados de saúde cada vez mais centrados nas necessidades dos doentes e seus cuidadores.

A Bolsa Celgene 2019 está integrada no Change Makers&Patient Partners, o programa internacional de responsabilidade social da companhia, que já atribuiu uma bolsa e um prémio desde 2017, no valor conjunto de 15 mil euros.

“Os dados mais recentes apontam para que um em cada cinco homens e uma em cada seis mulheres no mundo venham a desenvolver algum tipo de cancro ao longo da sua vida. Já é claro para a ciência que, numa grande parte dos casos, há um número variável de fatores que pode contribuir para o aparecimento de uma neoplasia: alimentação, tabaco, estilos de vida menos saudáveis. No entanto, é também importante olharmos com uma perspetiva positiva a Oncologia", refere Dr. Fernando Leal da Costa, hematologista do IPO Lisboa.

"Os avanços dos últimos anos têm sido formidáveis e há já muitas histórias de sucesso, na gestão da doença, na cura, no aumento da esperança de vida e qualidade de vida dos doentes. Nas doenças malignas do sangue e dos gânglios têm-se registado os maiores progressos em termos de sobrevivência e de qualidade de vida, um novo contexto que traz mais desafios na informação e integração do doente e dos seus familiares e cuidadores.É por isso que projetos como a Bolsa Celgene são muito importantes para o desenvolvimento de novas iniciativas adaptadas a esta nova realidade em que vivemos", acrescenta o especialista.

Os novos projetos devem possibilitar um maior entendimento do ambiente social e cultural das pessoas envolvidas com a doença, da experiência de vida, crenças, expetativas, atitude perante a doença, incapacidade e perda de autonomia. Todas estas dimensões têm influência na forma como a pessoa e o cuidador percecionam e aceitam a doença e aderem às estratégias de intervenção terapêutica.

Em 2018, foram submetidas 35 candidaturas com novos projetos e o prémio vencedor foi atribuído ao projeto “iGestSaúde”.

A candidatura deve ser feita através do endereço eletrónico premiocelgene.centradonapessoa@gmail.com.

Para mais informações, pode consultar o site da biofarmacêutica.

Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019