Investigação sobre células do sistema imunitário e o seu papel na luta contra o cancro conquista Prémio FAZ Ciência 2019
02/05/2019 16:02:09
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Investigação sobre células do sistema imunitário e o seu papel na luta contra o cancro conquista Prémio FAZ Ciência 2019

Contribuir para melhores tratamentos de imunoterapia contra o cancro é o grande objetivo do projeto ‘Reguladores celulares e moleculares de células T γδ multifacetadas no microambiente tumoral’, do Instituto de Medicina Molecular – João Lobo Antunes (IMM), que se dedica à investigação de um conjunto de linfócitos que infiltram o tumor e que podem contribuir para a sua progressão. Uma investigação que venceu o ‘Prémio FAZ Ciência 2019’, uma iniciativa da Fundação AstraZeneca (FAZ) e da Sociedade Portuguesa de Oncologia (SPO), que distingue o melhor projeto de investigação translacional em Imuno-Oncologia desenvolvido em Portugal. O Prof. Doutor Bruno Silva-Santos, representante da equipa de investigadores do IMM, em entrevista à News Farma, resume os principais objetivos da investigação. Assista ao vídeo.

O prémio, que se traduz numa bolsa de trinta e cinco mil euros, foi entregue no passado dia 23 de abril, em Lisboa, numa cerimónia que decorreu na residência do Embaixador do Reino Unido, em Lisboa.

“Este projeto em particular tenta manipular a resposta imunitária de forma a conduzir à erradicação do tumor, evitando uma resposta paradoxal que está contida na resposta imunitária – há células imunitárias que ajudam o tumor a crescer”, refere o Prof. Doutor Bruno Silva Santos.

Tendo em conta que as células do sistema imunitário são uma componente importante do microambiente tumoral, influenciando de forma significativa a progressão do cancro, os investigadores do IMM identificaram dois subconjuntos destas células que desempenham papéis opostos na progressão do tumor: enquanto um estimula a resposta contra o cancro, o outro promove o seu crescimento. O que controla este equilíbrio é o que falta perceber e é o que se pretende com este trabalho, reconhecido pela sua importância com o ‘Prémio FAZ Ciência’, que pela segunda vez premeia a investigação que se faz em Portugal nesta área.

Tal como em 2018, foram submetidos diversos projetos a concurso, com elevada qualidade e representativos de vários grupos de investigação, o que representa o consolidar de um novo paradigma no panorama da investigação em Portugal.

Vídeo


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019