Centro Hospitalar de Leiria cria Unidade de Saúde Mental Comunitária
16/04/2019 15:18:20
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Centro Hospitalar de Leiria cria Unidade de Saúde Mental Comunitária

O Centro Hospitalar de Leiria (CHL) criou a Unidade de Saúde Mental Comunitária do Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental (SPSM), na sequência das atividades já desenvolvidas em colaboração com os Cuidados Primários no âmbito do projeto Psiquiatria Comunitária – PsiCom, constituído em 2018, mas que teve o seu embrião em 2011, quando se iniciou no Centro de Saúde de Pombal a discussão mensal de casos clínicos com  a presença conjunta de profissionais do CHL e dos cuidados saúde primários.

 

A nova Unidade integra uma das mais prementes áreas da Saúde Mental, que é a da Psiquiatria Comunitária, e pretende "desenvolver, melhorar e otimizar os cuidados prestados na área da Saúde Mental aos utentes adultos da área de influência do CHL, com especial incidência sobre a população com doença mental grave”, revela a Dr.ª Alexandra Borges, vogal do Conselho de Administração do CHL.“

“O PsiCom é um programa de apoio orientado para as necessidades do doente de psiquiatria e saúde mental, ao favorecer o retorno a uma vida o mais normal possível, longe do internamento hospitalar, e “fugir” do modelo hospitalocêntrico e rumar a uma abordagem voltada para os recursos comunitários”, explica o Dr. Cláudio Laureano, diretor do Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental do CHL. 

Em 2018, realizaram-se 53 consultas de intervenção em crise na comunidade de doentes graves, 114 consultas domiciliárias multidisciplinares, e consultadoria psiquiátrica com os ACES Oeste Norte e Pinhal Litoral, com a realização de reuniões todos os meses nos Centros de Saúde de Alcobaça, Pombal, Arnaldo Sampaio e Gorjão Henriques, para discussão de mais de 110 situações clinica complexas.

A equipa da Psiquiatria Comunitária do CHL é constituída por duas médicas psiquiatras, três a quatro enfermeiras, coordenadas pela enfermeira-chefe do SPSM, e uma assistente social. 

“Pretendemos em breve avançar com reuniões de consultadoria com os Cuidados de Saúde Primários às unidades locais da Marinha Grande, Batalha, Porto de Mós e Nazaré”, acrescenta o Dr. Cláudio Laureano. 

“Relativamente à avaliação do projeto temos definidos vários objetivos e indicadores para avaliar o impacto do projeto, não esquecendo a apreciação dos benefícios para os utentes, para familiares e profissionais envolvidos”, concluiu.

 


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019