Glintt desenvolve aplicação que promete transformar a forma como se fazem registos clínicos
27/03/2019 16:47:59
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Glintt desenvolve aplicação que promete transformar a forma como se fazem registos clínicos

A Glintt, Global Intelligent Technologies, criou uma aplicação de reconhecimento de voz para a Santa Casa da Misericórdia do Porto (SCMP), que promete transformar a forma como se fazem registos clínicos. Fruto de uma parceria com a AB Consulting, o projeto deu os primeiros passos em 2018 e desde o final do ano que o piloto está em fase de exploração.

 

A aplicação móvel é única pela sua capacidade de integração do texto gerado no processo clínico eletrónico, permitindo através da voz, que o médico faça o registo das notas clínicas diárias, tanto na consulta como no internamento, que posteriormente são convertidas em texto pela própria solução.

O profissional de Saúde pode ainda aceder, por exemplo, à lista de doentes internados e através da voz efetuar os registos que tradicionalmente o obrigariam a estar a uma secretária a escrever. Neste sentido, o foco é sempre na otimização e no suporte à visão 360º dos cidadãos.

De acordo com a Dr.ª Filipa Fixe, executive board member da Glintt, os objetivos desta aplicação de voz são claros: “a nossa aplicação irá permitir à SCMP aumentar o tempo dedicado pelo médico ao doente, reduzir o tempo em tarefas de caráter administrativa e a mobilidade do médico que pode efetuar registos sem necessidade de estar fisicamente preso a um computador tradicional”, afirma.

Segundo o Prof. Doutor António Tavares, provedor da instituição, “um dos principais desafios tem sido garantir que a SCMP acompanha a designada transformação digital, ou seja, que consegue tirar partido das novas tecnologias para satisfazer as necessidades de todas as partes interessadas, quer sejam externas ou internas. Neste contexto, temos lançado iniciativas como o desenvolvimento da app do médico com aplicação de alguns dos aceleradores de inovação, nomeadamente o reconhecimento de voz devidamente integrado no que designamos internamente por Mordomo Digital”, explica.

Menciona ainda que a parceria com a Glintt, que já leva dez anos, “ tem incentivado ao desenvolvimento de novos produtos aplicáveis na saúde e em outras instituições, sempre com o foco na otimização e no suporte à visão 360º dos cidadãos”.

 


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019