Especialista na utilização de células estaminais do sangue do cordão umbilical pela primeira vez em Portugal
26/03/2019 15:56:08
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Especialista na utilização de células estaminais do sangue do cordão umbilical pela primeira vez em Portugal

A Dr.ª Joanne Kurtzberg, hemato-oncologista pediátrica e pioneira na utilização de células estaminais do sangue do cordão umbilical em Medicina Regenerativa, estará pela primeira vez em Portugal, no dia 13 de abril, como oradora num simpósio integrado na Reunião da Primavera da Sociedade Portuguesa de Obstetrícia e Medicina Materno-Fetal (SPOMMF).  

 

O Simpósio “Extending Cord Blood to Regenerative Therapies for the Brain” vai focar, sobretudo, a evolução da transplantação do sangue do cordão umbilical, na eficácia demonstrada pelas células do sangue do cordão umbilical no tratamento de doenças do foro sanguíneo, bem como em aplicações inovadoras em crianças com paralisia cerebral e doenças do espectro do autismo, as suas áreas de especialidade, tendo já várias crianças portuguesas integrado este estudo.  

Desde o primeiro transplante realizado há 30 anos, muito tem sido o trabalho desenvolvido pela Dr.ª Joanne Kurtzberg na aplicação de células estaminais do cordão umbilical principalmente em crianças, tendo já realizado milhares de tratamentos com estas células. 

Na sua vinda a Portugal, a especialista vai partilhar detalhes sobre a sua investigação e o avanço do sangue do cordão umbilical nas últimas duas décadas, sendo hoje utilizado no tratamento de mais 80 doenças num total de mais de 40 mil transplantes realizados.  

A Dr.ª Joanne Kurtzberg foi pioneira no uso do sangue do cordão umbilical em transplantação hematopoiética como alternativa aos transplantes de medula óssea. 

Em 1988, a especialista integrou a equipa multidisciplinar que realizou o primeiro transplante com células estaminais provenientes do cordão umbilical, em França. O tratamento salvou uma criança norte-americana de cinco anos, Matthew Farrow, com anemia de fanconi, uma doença do sangue rara e fatal. Após tratamento de quimioterapia, Matthew recebeu as células do sangue do cordão umbilical da sua irmã recém-nascida, com quem era compatível. 

Nas últimas décadas, a especialista estabeleceu, no Hospital Pediátrico da Universidade de Duke, nos Estados Unidos, um programa de transplantação pediátrica dedicado ao tratamento de crianças com doenças do foro hemato-oncológico, imunodeficiências, hemoglobinopatias e doenças metabólicas hereditárias.  

A Dr.ª Joanne Kurtzberg preside, desde 2015, à Cord Blood Association, uma organização internacional sem fins lucrativos que promove bancos públicos e privados e o uso do sangue e tecido do cordão umbilical no tratamento de doenças e terapias regenerativas. Atualmente, conta com mais de 300 artigos científicos publicados.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019