Optometristas exercem em Portugal há mais de 30 anos
22/03/2019 12:23:52
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Optometristas exercem em Portugal há mais de 30 anos

A Associação de Profissionais Licenciados em Optometria (APLO) vai assinalar amanhã, dia 23 de março, o Dia Mundial da Optometria, com o objetivo de destacar a importância mundial desta especialidade na prestação de cuidados primários para a saúde da visão, com mais de 200 anos de existência. Em Portugal existem perto de dois mil profissionais nesta área, formados na Universidade da Beira Interior e Universidade do Minho.

 

“Ao longo dos últimos 30 anos, os optometristas têm exercido a atividade com a autonomia que os carateriza e para a qual são formados, assumindo um papel de destaque na nossa sociedade, ao contribuir para o acesso atempado da população a meios de prevenção, diagnóstico e tratamento dos mais diversos problemas da visão", afirma o Dr. Raúl Sousa, presidente da APLO.

Estima-se que cada profissional de Optometria consiga realizar em média seis mil consultas por ano e representa bem mais de metade da totalidade das prescrições para óculos e lentes de contacto no país.

“A importância desta classe profissional tem sido corroborada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), pela Agência Internacional para a Prevenção da Cegueira e, recentemente, pelo estudo da Nova Healthcare Initiative – Research, da Universidade Nova de Lisboa, que declara que, bastaria integrar 61 optometristas no Serviço Nacional de Saúde (SNS) para solucionar cerca de 25% dos pedidos de primeira consulta da especialidade de Oftalmologia, por forma a eliminar as listas de espera para esta especialidade médica no SNS, que rondam em média seis meses, com máximos de três anos”.

Para assinalar a importância do optometrista, a APLO vai realizar ao longo do ano diversas iniciativas, como sessões educativas em escolas primárias e campanhas de consciencialização para a prevenção e diagnóstico atempado dos principais problemas da visão.Mais de dois milhões de pessoas apresentam dificuldades moderadas ou graves de visão em Portugal, sendo os erros refrativos a principal causa de disfunção da visão, atingindo, segundo as estimativas, mais de 50% dos portugueses.

O número de pessoas com problemas de visão tende a aumentar conforme a idade, alcançando entre 30 a 32% no grupo etário entre os 45 e os 74 anos.

“Dado que a partir dos 45 anos de idade é necessário utilizar compensação devido à presbiopia, a consulta optométrica para avaliação desta condição, bem como toda a avaliação do sistema visual e estruturas oculares, como o fundo de olho, permite detetar alterações de forma precoce de um número muito significativo de várias patologias. Desta forma, os optometristas desempenham um papel de fundamental relevância na referenciação para intervenção precoce, resultando num benefício extraordinário para a saúde da população com a poupança de recursos e despesa que lhe estão associadas”, aponta o presidente. 

“É esse o motivo pelo qual a OMS e Portugal concordaram no Plano de Ação Global: Acesso Universal aos Cuidados para a Saúde da Visão. Contudo, este é um objetivo que tem de ser concretizado na prática, em lugar de ceder aos interesses instalados que pretendem manter Portugal com a organização e nível de acesso aos cuidados de saúde da visão, baseados em conhecimento e práticas do século XVIII.” 

Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019