Dia Mundial do Sono: estudo revela que mulheres têm mais problemas em dormir
15/03/2019 11:04:18
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Dia Mundial do Sono: estudo revela que mulheres têm mais problemas em dormir

No âmbito do Dia Mundial do Sono, que se celebra hoje, dia 15 de março, foram divulgados resultados de um estudo recente que indica que são as mulheres quem tem mais problemas em dormir por causa dos seus parceiros, do aumento das responsabilidades familiares e do stress, enquanto os homens dormem pacificamente. A investigação, levada a cabo pela Sanofi na Austrália, nos EUA, no Japão, na Polónia, em Itália e em França, revela que as múltiplas tarefas que as mulheres exercem diariamente podem afetar a sua capacidade de adormecer e de manter um sono contínuo.

 

A pesquisa aferiu que as mulheres da “sandwich generation” são quem tem mais dificuldade em dormir. Cerca de um quarto (23%) das mulheres, entre os 45-54 anos, confidenciou ter noites em branco devido à preocupação com a saúde dos progenitores, enquanto duas em cada cinco mulheres (38%) apontam os filhos como a principal causa. Estes valores comparam-se, respetivamente, com 13% e 18% pela população masculina.

“A luta que muitas mulheres enfrentam para terem um sono de qualidade e com o número de horas correto é provavelmente resultado da combinação de fatores emocionais e do quotidiano. As mulheres que, depois de um longo dia de trabalho, ainda têm múltiplas tarefas domésticas a seu cargo, têm pouco tempo, ou mesmo nenhum, para desligarem o cérebro antes de irem para a cama. Não é surpresa que as mulheres têm mais propensão para andarem às voltas na cama e não terem uma noite descansada, dormindo o número de horas de que precisam”, refere o Prof. Doutor Damien Leger, especialista mundial em sono.

Por sua vez, os homens adormecem com maior facilidade, tendo um sono contínuo, com um em cada cinco homens a confidenciarem que nada os consegue manter acordados durante a noite. Não só os homens disfrutam de mais horas de sono, como também afetam negativamente o descanso das suas parceiras, com ¼ das mulheres a apontarem o ressonar dos parceiros e as constantes voltas na cama como causas da perturbação da qualidade do seu sono.

Enquanto a maioria das mulheres não encara o problema de sono como uma questão de saúde que merece preocupação, estudos comprovam que uma noite bem dormida tem inúmeros benefícios para uma vida saudável.

Prof. Doutor Mathew Walker, autor do bestseller “Why We Sleep”, cita o sono como “um tratamento revolucionário que traz longevidade às pessoas… aumenta a memória, torna-nos mais atraentes… mantém-nos em forma e diminui os desejos incontrolados pela comida”.

 

Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019