Campanha contra a dor visa facilitar comunicação entre pessoas vulneráveis e profissionais de saúde
21/02/2019 14:20:47
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Campanha contra a dor visa facilitar comunicação entre pessoas vulneráveis e profissionais de saúde

A Associação Internacional para o Estudo da Dor (IASP) definiu o ano de 2019 como o “Ano de Luta contra a Dor em Populações Vulneráveis”, campanha à qual a European Pain Association (EFIC) e a Associação Portuguesa para o Estudo da Dor (APED) se unem, promovendo ações no sentido de tornar mais eficaz a comunicação entre as populações vulneráveis e os profissionais de saúde.

 

“Pretendemos aumentar a consciencialização na área da dor, sobretudo entre as populações mais vulneráveis. Acreditamos que com uma maior consciencialização é possível melhorar a gestão da dor e o acompanhamento aos doentes”, refere a Dr.ª Ana Pedro, presidente da Associação Portuguesa para o Estudo da Dor (APED).

“Há pessoas que sofrem em silêncio porque o facto de não compreenderem a sua dor as impossibilita de se expressarem corretamente ao seu médico e procurarem ajuda. Estas pessoas que não conseguem identificar a sua dor estão mais predispostas a um controlo inadequado”, acrescenta.

O grande objetivo deste "Ano de Luta contra a Dor em Populações Vulneráveis" é promover uma comunicação mais eficaz entre doentes e profissionais de saúde. A especialista afirma, ainda, que “a APED vai continuar a trabalhar de perto com pessoas idosas, bebés e crianças, pessoas com deficiência cognitiva ou transtorno psiquiátrico e traumatizados de guerra, no sentido de melhorar a sua qualidade de vida”. 

Como prioridades para o ano de 2019, a IASP definiu: identificar as barreiras que impossibilitam a avaliação e a gestão da dor em grupos vulneráveis; estudar os tipos de dor mais comuns em populações vulneráveis e identificar os instrumentos de avaliação mais adequados; identificar as técnicas de gestão da dor mais apropriadas; explorar e colmatar as necessidades educacionais ou de formação dos profissionais de saúde necessárias para lidar com a dor em populações vulneráveis e identificar áreas de pesquisa e desenvolvimento.

Neste âmbito, a APED realiza um workshop intitulado “Opioides em populações vulneráveis” na Fundação Cupertino de Miranda, no Porto, no dia 7 de junho.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019