Principal causa de morte em Portugal analisada no 13.º Congresso Português de Hipertensão
Principal causa de morte em Portugal analisada no 13.º Congresso Português de Hipertensão

Dois em cada cinco portugueses morrem por doença cardiocerebrovascular, a principal causa de morte em Portugal. A informação é avançada pela Sociedade Portuguesa de Hipertensão (SPH), que reúne especialistas nacionais e estrangeiros para debater esta questão. O encontro decorre no 13.º Congresso Português de Hipertensão, com lugar entre 7 e 10 de fevereiro, no Hotel Tivoli Marina Vilamoura, Algarve.

Em comunicado, o presidente da SPH, Dr. Manuel Carvalho Rodrigues, esclarece que “a doença cardiocerebrovascular continua a matar duas em cada cinco portugueses, números que preocupam muito os especialistas”. “Queremos, com este encontro médico-científico saber o que à de novo ao nível das tecnologias, dos processos de trabalho, medicamentos novos que possam contribuir para que, de futuro, estes números não representem a realidade nacional”, acrescenta.

O também presidente do Congresso destaca, ainda, a importância da formação no Congresso “para termos os melhores médicos a encaminhar e tratar os doentes portugueses”.

Organizado pela SPH, o 13.º Congresso de Hipertensão e Risco Cardiovascular Global responde aos mais recentes desafios em termos de mais e melhor identificação, tratamento e controle dos vários fatores do risco cardiovascular global (RCVG).

O RCVG é o centro de toda atividade científica do Congresso, com sessões dedicadas à diabetes, à dislipidémia, à fibrilhação auricular e à hipertensão arterial, que continua a ser o factor de risco de maior impacto. Consulte aqui o programa final do encontro.

O Congresso integra a visão de várias especialidades, com especial enfoque para a Medicina Geral e Familiar, tendo em conta que “é neste patamar de cuidados de Saúde que a esmagadora maioria dos doentes se encontra”, esclarece a SPH num comunicado divulgado à comunicação social.

As novas terapêuticas são outro tema em debate neste encontro científico, que tem como presidente da comissão organizadora o Dr. Vítor Paixão Dias. A adesão ao tratamento foi a temática fulcral da presidência bianual da SPH (2017-2019), que cessará funções após este Congresso.

Na 13.ª edição do Congresso serão também apresentados, na “Conferência do Presidente” os resultados do registo de doentes de 2018 realizada pela SPH.

Mais informações disponíveis aqui


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019