Investigador português premiado pela Sociedade Europeia de Hematologia
29/01/2019 17:10:57
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Investigador português premiado pela Sociedade Europeia de Hematologia

O Prof. Doutor Delfim Duarte, investigador do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto (i3S), foi recentemente distinguido pela Sociedade Europeia de Hematologia (European Hematology Association - EHA) com um prémio de 160 mil euros, designado “EHA Physician-Scientist Research Grant”, dirigido a médicos investigadores a nível europeu. 

O projeto vencedor tem como objetivo explorar o papel do ferro na leucemia mielóide aguda (LMA), desenvolver novas terapêuticas e conseguir aumentar a qualidade de vida de doentes oncológicos. O premiado é docente na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) e interno no Serviço de Hematologia no IPO-Porto.

De acordo com o investigador, a LMA “é uma doença agressiva, com opções terapêuticas limitadas. No meu trabalho anterior, observei que as células de LMA destroem seletivamente os vasos sanguíneos adjacentes ao osso, no chamado microambiente, o que promove, não só a quimiorresistência das células de LMA, mas também a perda de células do sangue não malignas, o que causa anemia, sangramento e infeções nestes doentes. Os nossos resultados preliminares sugerem que o ferro poderá ter um papel importante na alteração do microambiente na LMA e contribuir para a agressividade da doença”.

Para explorar o papel do ferro e, mais concretamente, esta hipótese, o investigador vai utilizar amostras de doentes do IPO-Porto com LMA e modelos pré-clínicos de ratinho de LMA.

Para o investigador do i3S o reconhecimento representa “a oportunidade de conciliar a prática clínica no IPO-Porto com a investigação no i3S. Aqui faço parte de um grupo dedicado ao estudo da biologia do ferro (Basic and Clinical Research in Iron Biology) dirigido pela Prof.ª Doutora Graça Porto e esta grant permite-me, não só executar o projeto, como também contratar um investigador”.

A distinção é “um marco na minha carreira científica e permite-me explorar as minhas próprias questões e atingir independência como investigador. Ser médico e fazer investigação básica / de translação é muito desafiante e existem poucas oportunidades nesta área. A EHA potencia esta opção na área da Hematologia”, acrescenta.

O Prof. Doutor Delfim Duarte foi também recentemente distinguido com uma menção honrosa pelo júri do prémio "Rui Osório de Castro/Millennium BCP" pelo seu projeto sobre "O papel da inflamação no microambiente da leucemia linfoblástica aguda de células T", realizado em colaboração com investigadores do Imperial College London e do instituto WEHI (Melbourne). 

Fonte: Universidade do Porto


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019