"Sinais do coração. Não deixe a viagem acabar cedo demais" é o mote da campanha lançada pela SPC
25/01/2019 16:20:05
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
"Sinais do coração. Não deixe a viagem acabar cedo demais" é o mote da campanha lançada pela SPC

"Sinais do coração. Não deixe a viagem acabar cedo demais". É este o mote da campanha que a Sociedade Portuguesa de Cardiologia (SPC) lançou hoje, dia 25 de janeiro, na Alameda D. Afonso Henriques, em Lisboa. A iniciativa alerta para o flagelo da insuficiência cardíaca (IC) na população portuguesa.

Com a duração de três meses, a campanha “surge na sequência da quantidade de pessoas quem sofrem de IC”. Quem o explica é o presidente da SPC, Prof. Doutor João Morais, que explica a razão pela qual foi colocado um coração em pleno centro de Lisboa. “O coração que aqui está alerta quem aqui passa para importância da Cardiologia”, adianta.

Quanto à colaboração com o Salvador Sobral, o cardiologista explica que surge na sequência de o cantor já ter sofrido de IC e, como tal, compreender a importância da campanha, e pelo facto de a iniciativa conseguir ganhar um maior impacto nos portugueses.

No âmbito da campanha, a Câmara Municipal de Lisboa em colaboração com o Metropolitano de Lisboa, foi colocado hoje e estará até amanhã, dia 26 de janeiro, um coração na sua forma anatómica e gigante na Alameda D. Afonso Henriques, em Lisboa. No dia 28, o coração muda-se para a estação de metro de São Sebastião, também em Lisboa. A iniciativa é apadrinhada pelo cantor Salvador Sobral, que se junta a esta sociedade científica por um país com menos "corações insuficientes", por mais "corações informados e devidamente diagnosticados".

Em entrevista, o Salvador Sobral mostra-se bastante satisfeito em dar a cara por esta iniciativa, que serve como uma “mensagem de alerta para possíveis sintomas”. O cantor, que sofria de IC grave realça, ainda, os avanços na Medicina, que dão esperança às pessoas com doenças cardiovasculares.

Quanto à sua recuperação após um transplante de coração, Salvador Sobral admite jogar futebol duas vezes por semana e caminhar por Lisboa.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019