Air Liquide pretende reduzir em 30% a sua intensidade de carbono até 2025
27/12/2018 11:17:20
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Air Liquide pretende reduzir em 30% a sua intensidade de carbono até 2025

A Air Liquide pretende manter o compromisso com o crescimento sustentável, nomeadamente no sentido de limitar as suas emissões de CO2. Para acelerar o ritmo desse impulso, a Air Liquide vai ainda mais longe anunciando os seus objetivos climáticos com uma abordagem global que abrange os seus ativos, os seus clientes e os ecossistemas.

No contexto das suas atividades, incluindo a produção, a distribuição e os serviços, a Air Liquide está empenhada em reduzir a sua intensidade de carbono em 30% até 2025, em relação aos seus níveis de emissão em 2015. Estes objetivos serão atingidos, tendo por base:

- O aumento em cerca de 70% das suas compras de eletricidade renovável;

- A melhoria da eficiência energética das suas unidades de produção;

- A redução da pegada de carbono dos seus produtos em 10%, otimizando a produção e o transporte.


Em relação aos ecossistemas, a Air Liquide está a contribuir para o desenvolvimento de uma sociedade de baixo carbono através de um diálogo ativo com os principais atores (decisores políticos, parceiros industriais, ONGs, etc.) em relação a:

- Desenvolvimento de biometano para a indústria e o transporte;

- Proposta de soluções alternativas para a logística com frio;

- Promoção do hidrogénio - em particular o hidrogénio isento de carbono - que desempenhará um papel fundamental na luta contra as alterações climáticas e a transição energética, no que diz respeito à mobilidade e à energia.


O Grupo afirma estar também comprometido com uma indústria sustentável, pelo que promove soluções de baixo carbono, nomeadamente tecnologias como a oxicombustão, que permitem aos seus utilizadores melhorar a eficiência energética dos seus processos industriais e reduzir as suas emissões. O Grupo inova continuamente e desenvolve novas soluções, como é o caso da captura e uso de CO2, ou o desenvolvimento de novos materiais para a eletrónica.

Benoît Potier, presidente e CEO da Air Liquide, afirma que “a indústria tem um papel importante a desempenhar no desafio das mudanças climáticas, desenvolvendo novas tecnologias e novas cadeias de valor para a transição de baixo carbono. Na Air Liquide, reconhecemos a nossa responsabilidade e trabalhamos há muitos anos, combinando o crescimento com o respeito pelo ambiente graças às nossas tecnologias inovadoras. Quase um terço do nosso investimento em inovação é alocado ao ambiente. O objetivo anunciado - de reduzir a nossa intensidade de carbono em 30% - é um forte compromisso. Acreditamos que é necessário avançar para uma sociedade de baixo carbono. O nosso desenvolvimento em biometano e hidrogénio reflete essa convicção”.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019