Prof. Doutor Henrique Barros é o novo presidente do Conselho Nacional de Saúde
18/12/2018 17:30:19
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Prof. Doutor Henrique Barros é o novo presidente do Conselho Nacional de Saúde

O Prof. Doutor Henrique Barros, ex-Coordenador Nacional para a Infeção VIH/SIDA, acaba de ser nomeado o novo presidente do Conselho Nacional de Saúde, substituindo o Dr. Jorge Simões, que renunciou ao cargo, invocando “motivos pessoais”. A mudança foi ontem, 17 de dezembro, publicada em Diário da República.

 

Licenciado e Doutorado em medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), o Prof. Doutor Henrique Barros é professor catedrático daquela faculdade, sendo também diretor do Departamento de Ciências da Saúde Pública e Forenses e Educação Médica da FMUP.

Além disso, o especialista exerce ainda o cargo de presidente do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP) e coordena a Unidade de Investigação em Epidemiologia do ISPUP.

Entre 2005 e 2011 foi Coordenador Nacional para a Infeção VIH/Sida, tendo recebido um Louvor Público do Ministério da Saúde pelo trabalho desempenhado neste cargo.

O Prof. Doutor Henrique Barros preside ainda várias instituições, como a International Epidemiological Association (IEA) e o Comité Científico Consultivo Externo do CIBERESP, Centro de Investigación Biomédica en Red de Epidemiología y Salud Pública.

É também vice-presidente do Conselho Consultivo da Entidade Reguladora da Saúde, tendo desenvolvido trabalho em áreas como a Epidemiologia Clínica e Perinatal, as doenças cardiovasculares e infecciosas e o cancro.

O trabalho que desenvolveu em torno da Epidemiologia em Portugal também foi distinguido com o prémio Luís Cayolla da Motta da Associação Portuguesa de Epidemiologia, como reconhecimento da sua dedicação.

Entre 2004 e 2012 foi membro do Conselho Científico para as Ciências da Saúde da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, tendo também pertencido à comissão executiva da Comissão de Ética para a Investigação Clínica, entre 2009 e 2016, e ao comité científico da Science Europe (MED), entre 2012 e 2015.

Integrou ainda a Comissão Científica Independente de Controlo e Fiscalização Ambiental da Coincineração e a Comissão de peritos que acompanhou a situação de encerramento do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge.

 

Fonte: Público

 


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019