Lançada Plataforma de Impacto Social da Dor em Portugal
11/12/2018 15:13:02
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Lançada Plataforma de Impacto Social da Dor em Portugal

Existem, na Europa, mais de 150 milhões de pessoas com dor crónica, sendo que quase todas passam por um episódio de dor grave numa determinada altura da sua vida. Em Portugal, o custo anual relacionado com a dor crónica ultrapassa os 4,5 mil milhões de euros todos os anos, o que corresponde a mais de 2% do PIB anual português. Mediante esta realidade, os representantes de associações e organizações portuguesas com interesse na temática uniram-se para lançar a Plataforma de Impacto Social da Dor em Portugal.

 

Os custos anuais da dor crónica são quase duas vezes mais elevados do que os custos anuais relativos ao cancro (900 milhões de euros), diabetes (1,5 mil milhões de euros) e insuficiência cardíaca (289,4 milhões de euros) em conjunto. Subjacente a esta realidade está o sofrimento de milhões de indivíduos afetados pela dor, bem como das suas famílias e cuidadores. 

A acrescentar a isto, as patologias relacionadas com a dor são responsáveis por um elevado número de reformas antecipadas. A dor musculosquelética é a causa de quase 50% de todas as faltas laborais com duração mínima de três dias na União Europeia e 60% da incapacidade laboral permanente. É também um dos principais motivos pelos quais as pessoas abandonam o mercado de trabalho de forma prematura e contribui, de modo considerável, para a reforma por invalidez.

No seguimento destes dados foi pensada a Plataforma, que reúne profissionais de saúde, grupos de apoio à dor, associações de doentes, indústria farmacêutica e outras partes interessadas. Tal vai permitir aumentar a sensibilização em torno da relevância e impacto da dor na sociedade portuguesa e nos sistemas económico e de saúde. O trabalho efetuado no âmbito deste projeto contribuirá para reduzir a prevalência da dor e melhorar a qualidade de vida das pessoas com dor crónica.

A Plataforma vai ser lançada hoje em Lisboa, numa reunião onde os participantes vão debater as áreas-chave de interesse, incluindo a sensibilização em torno da dor e as medidas que podem ser tomadas no sentido de reduzir o impacto da dor no mercado de trabalho.

A Plataforma de Impacto Social da Dor em Portugal vai trabalhar em conjunto com a iniciativa homóloga criada a nível europeu, com o objetivo de permitir a partilha de experiência e de boas práticas.

Para mais informações, contacte o Secretariado da Associação Portuguesa para o Estudo da Dor (APED): tavaresa@med.up.pt.

 


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019