Abtrace recebe financiamento de dois milhões de euros para combater a resistência a antibióticos
27/11/2018 16:31:39
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Abtrace recebe financiamento de dois milhões de euros para combater a resistência a antibióticos

A Abtrace acaba de ser premiada com dois milhões de euros de financiamento e um programa de incubação no Instituto Pedro Nunes pelo programa Wild Card 2018 da EIT Health. A iniciativa do Instituto Europeu de Inovação e Tecnologia (EIT) apoia ideias e projetos inovadores com potencial para transformar a saúde na Europa.

Nos próximos dois anos, este financiamento vai permitir à Abtrace desenvolver na incubadora do Instituto Pedro Nunes uma ferramenta para combater a resistência a antibióticos que combina inteligência artificial e big data para transformar as práticas de prescrição de antibióticos.

O Prof. Doutor Hélder Soares, co-fundador da Abtrace e doutorando em Química Médica pela Universidade de Coimbra, explica que, “com o apoio da EIT Health e do Instituto Pedro Nunes, o objetivo da empresa é desenvolver novas ferramentas que diminuam os erros associados à prescrição de antibióticos, um dos fatores mais críticos para a crise da resistência antimicrobiana”.

“Estudando um conjunto alargado de registos clínicos, é possível encontrar novas formas de ajudar os médicos na altura de decidirem que antibiótico prescrever, selecionando o medicamento mais correto para uma infeção específica", acrescenta.

Já o Dr. Jan-Philipp Beck, CEO da EIT Health, realça que a Abtrace “identificou uma séria necessidade na saúde mundial. A resistência a antibióticos é uma grave ameaça que afeta milhões de pessoas”. Por isso, “estamos muito satisfeitos e orgulhosos em apoiar o trabalho desta equipa e ansiosos por ver os resultados das suas ideias e o seu impacto na saúde”.

A resistência a antibióticos é uma das mais graves ameaças à saúde mundial. Segundo a Organização Mundial de Saúde, estima-se que até 2050 mais pessoas venham a morrer por infeções causadas por organismos multirresistentes do que por doenças oncológicas. A principal causa é o uso excessivo de antibióticos.

Todos os antibióticos correm o risco de desenvolver resistência. Contudo, calcula-se que um terço das prescrições são desnecessárias ou inadequadas. A escolha correta de um antibiótico oferece um triplo benefício: melhor tratamento do utente, menos gastos no consumo de antibióticos inadequados e, por fim, a redução da sua resistência ao ser selecionado o medicamento mais apropriado para a resolução do problema.

Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019