Portugal entre os países com maior esperança de vida à nascença, revela relatório da OCDE
22/11/2018 16:03:47
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Portugal entre os países com maior esperança de vida à nascença, revela relatório da OCDE

Foi hoje divulgado o relatório anual sobre saúde da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), “Health at a Glance”, no qual Portugal está entre os países europeus com maior esperança de vida à nascença. Ainda assim, as mulheres portuguesas são das que apresentam maior percentagem de anos vividos com pouca saúde ou limitações físicas.

 

Portugal surge ligeiramente acima da média europeia quanto à esperança de vida à nascença, que, em 2016, se situava em 81,3 anos (mais três meses que a média).

 

Como na generalidade dos países, em Portugal as mulheres apresentam valores mais elevados de esperança de vida à nascença (84,3 anos). Contudo, quase um terço dos anos vividos pelas mulheres em Portugal são-no com limitações de saúde.

 

Aos 65 anos, as mulheres portuguesas têm uma esperança de vida ainda de 21,8 anos, mas 71% deles serão vividos com limitações. É uma das percentagens mais altas de anos vividos com limitações físicas do conjunto de 28 países da União Europeia, cuja média é de 53% de anos de vida com menos saúde a partir dos 65 anos.

 

No caso dos homens, aos 65 anos os portugueses apresentam uma esperança média de vida de mais 18 anos, sendo que 57% serão vividos com limitações físicas ou de saúde, quando a média europeia é de 46%.

 

 

Novos casos de cancro na União Europeia

As estatísticas hoje divulgadas indicam que o número de novos casos de cancro na União Europeia deve chegar este ano aos três milhões, com Portugal a ter uma das mais reduzidas incidências, mas ainda assim a ultrapassar os 50 mil novos casos de doença oncológica.

 

A OCDE aponta para uma estimativa de novos casos de cancro este ano em Portugal de 492 por 100 mil habitantes, ultrapassando assim os 50 mil novos casos. Esta previsão está alinhada com as estimativas divulgadas em setembro pela Agência Internacional para a Investigação do Cancro, que apontava que o número de novos casos de cancro em Portugal ultrapassará este ano os 58 mil, com as mortes por doença oncológica a ascenderem a quase 29 mil.

 

No relatório da OCDE, em termos de taxa de incidência, estima-se que a média europeia se situe nos 569 novos casos por 100 mil habitantes.

 

Portugal surge com uma estimativa de incidência para este ano abaixo da média, com 492 casos por 100 mil pessoas, sendo um dos quatro países com incidência mais baixa na totalidade dos novos casos de doença oncológica, a par com Áustria, Bulgária e Roménia. No lado oposto, com mais incidência surgem a Hungria, a Irlanda, a Dinamarca e a Bélgica.

 

A incidência é estimada com base nos novos casos registados em cada ano, tendo em conta a população por país, mas para efeitos comparativos a OCDE diz que há que ter em conta a diferença nos sistemas de registo e na qualidade da vigilância da doença oncológica em cada país.

 

 

Fonte: SNS

 


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019