IPO Lisboa: maioria dos doentes em tratamento ou seguimento satisfeitos com assistência e cuidados de saúde
14/11/2018 15:57:22
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
IPO Lisboa: maioria dos doentes em tratamento ou seguimento satisfeitos com assistência e cuidados de saúde

A grande maioria dos doentes em tratamento ou seguimento no  Instituto Português de Oncologia de Lisboa (IPO Lisboa) está muito satisfeita com a assistência e com os cuidados que recebe. Os dados estão comprovados no inquérito aplicado pela Gestão de Qualidade e Risco nos serviços de internamento e no ambulatório a 690 doentes, entre 13 de novembro e 12 de dezembro de 2017.

Dos doentes acompanhados em ambulatório que responderam a este inquérito, 96% consideram-se muito satisfeitos com o atendimento das equipas médica, Enfermagem, secretariado e técnicos de saúde. Quanto ao internamento, os níveis de satisfação mantêm-se elevados, neste caso nos 84%, para os mesmos grupos profissionais.

No ambulatório, os doentes que referiram alguma insatisfação justificaram a sua opinião com a demora nos tempos de espera para atendimento pelo secretariado, pessoal médico, técnicos de saúde, condições de conforto e sinalética deficiente de alguns serviços. Já no internamento, o principal motivo de descontentamento está relacionado com a alimentação, tendo também alguns doentes sinalizado a necessidade de melhorar o conforto, a ajuda do voluntariado, a limpeza e o atendimento do Gabinete do Cidadão.

Por outro lado, 26% dos comentários dos doentes fizeram elogios ao funcionamento e à qualidade dos serviços, aos profissionais, à simpatia e à humanização dos cuidados no IPO.

Os resultados deste inquérito e as sugestões de melhoria apontadas pelos doentes foram comunicadas aos diretores e gestores de qualidade dos vários serviços para que sejam avaliadas e desenvolvidas ações de melhoria.

O IPO Lisboa sublinha que algumas das sugestões de melhoramento apontadas pelos doentes em anos anteriores já foram implementadas, nomeadamente o processo clínico eletrónico e as obras de requalificação nalguns serviços/internamento. Outras, como o aumento do número de elevadores, a renovação das cadeiras das salas de espera, a requalificação de algumas instalações sanitárias, estão entre os vários investimentos em curso.

Fonte: SNS


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019