SPR cria Grupo de Centro de Ligação para Fraturas para "colmatar precário diagnóstico da osteoporose"
19/10/2018 15:57:07
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
SPR cria Grupo de Centro de Ligação para Fraturas para "colmatar precário diagnóstico da osteoporose"

No âmbito do Dia Mundial da Osteoporose, que se assinala amanhã, 20 de outubro, a Sociedade Portuguesa de Reumatologia (SPR) anunciou a criação do Grupo de Centro de Ligação para Fraturas (Fracture Liason Centers Group). O projeto, criado pelo Grupo de Estudo de Doenças Ósseas Metabólicas, tem como objetivo facilitar o diagnóstico, a referenciação e a terapêutica da doença reumática, que afeta mais de 10% da população adulta portuguesa.

O Grupo de Centros de Ligação para Fraturas arranca hoje em 15 centros de Reumatologia de norte a sul do país. O objetivo destes centros passa por colmatar “o precário diagnóstico da osteoporose e atingir uma referenciação mais célere e eficaz dos doentes com fraturas primárias e dar o seguimento e monitorização adequada a estes casos”, refere a SPR em comunicado.

Os centros de ligação de fraturas estabelecem protocolos com os serviços de Ortopedia, através dos serviços de internamento e de urgência dos hospitais que referenciam os doentes para as unidades de Reumatologia. Esse procedimento pode também ser realizado através da Medicina Geral e Familiar, com “via verde” aberta para estes centros. Numa fase seguinte, os doentes são seguidos nas unidades especificas de fratura e posteriormente orientados de acordo com as suas necessidades.

Outra meta que a SPR pretende alcançar com este serviço é a adoção de protocolos de monitorização de doentes com informação comum entre várias unidades de referência de Reumatologia.
Para a Sociedade, isso irá permitir por um lado, estudar estes doentes ao longo do tempo e, por outro, tirar conclusões nacionais através do Registo Nacional de Doentes Reumáticos (Reuma.pt).

Num comunicado divulgado à comunicação social, a Prof.ª Doutora Helena Canhão, presidente eleita da SPR, refere que o “novo Grupo de Centros de Ligação para Fraturas é mais um passo importante na melhoria do acompanhamento que queremos dar ao doente reumático”. “Isso passa pela homogeneização de atitudes terapêuticas, melhoria do diagnóstico, referenciação adequada e respetivo encaminhamento que estes centros irão criar”, e acrescenta que “é imperativo que a Osteoporose, assim como outras doenças reumáticas, seja identificada atempadamente”.

A especialista salienta, ainda, que “uma pessoa que sofra uma fratura osteoporótica se não for tratada, tem três vezes mais risco de vir a sofrer de nova fratura com complicações importantes na sua qualidade de vida e saúde”.

Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019