MOVA arranca com ciclo de formações sobre prevenção da pneumonia na Liga Portuguesa Contra a SIDA
MOVA arranca com ciclo de formações sobre prevenção da pneumonia na Liga Portuguesa Contra a SIDA

A Liga Portuguesa Contra a SIDA (LPCS) recebeu hoje, 2 de outubro, nas suas instalações em Lisboa, a primeira ação de formação sobre vacinação antipneumocócica do Movimento Doentes Pela Vacinação (MOVA). Aberta a colaboradores e utentes, esta é a primeira de um conjunto de formações cujo objetivo é a sensibilização sobre importância da prevenção da pneumonia.

Esta ação, e as que se seguirão, destinam-se não só a quem está mais vulnerável à doença, como também a quem lida diariamente com co-morbilidades que potenciam a pneumonia, como é o caso do VIH. A presidente da LPCS, Dr.ª Maria Eugénia Saraiva, e a Dr.ª Isabel Saraiva, fundadora do MOVA, foram as anfitriãs da sessão-piloto.

Num comunicado divulgado à comunicação social, o MOVA explica a razão por detrás da realização das formações. Sabe-se hoje que 90% dos adultos com mais de 50 anos não estão vacinados contra a pneumonia, e que a maioria não o faz por falta de aconselhamento médico. De forma a inverter esta tendência, o MOVA lança um conjunto de ações de formação que visam sensibilizar população, profissionais de saúde e decisores para a importância da prevenção, reconhecendo em associações como a LPCS, os parceiros fundamentais para o fazer.

De acordo com a fundadora do MOVA “é necessário dotar a população de informação, principalmente aqueles que estão em maior risco. Para isso, o melhor que temos a fazer é ir ao seu encontro. Começamos com a Liga Portuguesa contra a Sida, membro do MOVA desde abril deste ano, disponível desde o primeiro momento em falámos destas ações”. “As pessoas estão pouco informadas. Mesmo no caso de quem está recomendado e pertence aos grupos de alto risco, as taxas de vacinação são extremamente baixas”, acrescenta.

“Contribuir para uma maior literacia na saúde e para uma consciencialização das pessoas sobre a importância da vacinação é fundamental, para que possamos nos prevenir de infecções e doenças” e, por isso, a presidente da LPCS considera que esta sessão é “mais uma oportunidade de passar a mensagem a utentes e colaboradores para que se sintam mais informados, preparados e esclarecidos, na sua tomada de decisão face à sua saúde”.

A ação de formação do dia de hoje foi a primeira de um conjunto de ações que integram uma campanha de sensibilização mais alargada. Depois do encontro na LPCS estão pensadas visitas a outras instituições, a par de outras entidades como centros de dia, lares e outros locais frequentados por quem está em situação de maior fragilidade perante a doença.

Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019