Já são conhecidos os cinco projetos finalistas da Competição Life Enablers
25/09/2018 15:38:02
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Já são conhecidos os cinco projetos finalistas da Competição Life Enablers

A competição Life Enablers já elegeu os seus cinco projetos finalistas. A competição que visa premiar ideias inovadoras no campo da Saúde vai agora iniciar a fase de trabalho de campo, onde as equipas vão reunir com os seus mentores, profissionais da Takeda, por forma a detalhar o âmbito da intervenção e estruturar a proposta. A final decorre em novembro, momento em que vai ser anunciado o vencedor e atribuído o prémio monetário de incentivo à implementação do projeto.

 

Após um dia de Bootcamp, onde foram apresentados e avaliados os 15 projetos que chegaram até essa fase, o júri apurou os primeiros quatro finalistas. Deste grupo de jurados fizeram parte representantes da Associação Portuguesa de Farmacêuticos Hospitalares, da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa, da Associação de Enfermagem Oncológica Portuguesa, da Associação Portuguesa Contra a Leucemia, da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Hospitalar, da Associação Portuguesa da Doença Inflamatória do Intestino, da Sociedade Portuguesa de Pneumologia e da Takeda Farmacêuticos Portugal.

Relativamente ao quinto e último finalista, este foi apurado durante a fase de Growth Hacking, em que os projetos foram apresentados ao público através de um curto pitch filmado e publicado no Facebook, com o objetivo de angariar o maior número de “gostos”.

“Chegámos a um conjunto de projetos diferenciadores, inovadores e com um elevado grau de impacto na vida dos doentes e das suas famílias. Neste momento, e com a ajuda dos profissionais de saúde experientes que os vão auxiliar, as equipas têm oportunidade de aperfeiçoar as suas ideias”, afirma o Dr. Nuno Carvalho, Customer Solutions Manager da Takeda em Portugal.

“Estamos todos, tanto os participantes como os promotores do Life Enablers – Takeda e SPARK – muito entusiasmados com esta fase da competição. O grau de envolvimento e o impacto desta iniciativa têm sido surpreendentes, como demonstrou a fase de Growth Hacking em que se atingiram resultados, ao nível de presença digital e envolvimento da sociedade em geral, que superaram as expectativas”, acrescenta, referindo-se às mais de 35 mil visualizações e quase três mil interações obtidas nos vídeos de apresentação.

 

Projetos finalistas

- EBIMed: estudantes de Engenharia Biomédica da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, orientados por André Lau, Oncology Brand Manager da Takeda.

- Hospital da Bonecada: estudantes de Medicina da nova Medical School, orientados por Maria João Monteiro, IBD Brand Manager da Takeda.

- Palhaços D’Opital: alunas/recém-diplomadas em Comunicação da Católica Lisbon, orientadas por Helena Coutinho, Head of Market Access & Communications da Takeda.

- Spiro: alunos de Fisioterapia da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa e Ciências Farmacêuticas da Universidade de Coimbra, orientados por Inês Guedes, Medical Head da Takeda.

- Don’t Quit: apurada na fase de Growth Hacking formada por alunas de Engenharia Civil e Engenharia Eletrónica do Instituto Politécnico de Bragança, entregues ao mentor Carlos Ribeiro, Hemato Brand Manager da Takeda.

 


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019