EMA emite parecer positivo sobre a combinação de pembrolizumab com quimioterapia contendo pemetrexedo e platina no tratamento em primeira linha do CPCNP metastático
16/08/2018 10:49:30
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
EMA emite parecer positivo sobre a combinação de pembrolizumab com quimioterapia contendo pemetrexedo e platina no tratamento em primeira linha do CPCNP metastático

O Comité dos Medicamentos para Uso Humano (CHMP) da Agência Europeia do Medicamento (EMA) emitiu um parecer positivo recomendando a aprovação de pembrolizumab em combinação com pemetrexedo e quimioterapia contendo platina (cisplatina ou carboplatina) para o tratamento de primeira linha do cancro do pulmão de células não-pequenas metastático (CPCNP) em adultos cujos tumores não expressem mutações EGFR ou ALK, independentemente da expressão de PD-L1. O anúncio foi feito pela MSD.

 

Se aprovado, será a primeira aprovação na Europa para uma terapia anti-PD-1 em combinação com quimioterapia e é baseada nos dados de sobrevivência global (OS) e sobrevivência livre de progressão (PFS) do estudo Fase 3 KEYNOTE-189.

"Tendo em conta que o cancro de pulmão é a principal causa de mortes por cancro na Europa, há uma necessidade significativa de terapêuticas inovadoras que possam melhorar a OS de doentes com cancro do pulmão de células não-pequenas metastático”, refere o Dr. Roger M. Perlmutter, presidente MSD Research Laboratories.

“O estudo KEYNOTE-189 demonstrou um benefício de sobrevivência significativo para a combinação de pembrolizumab com quimioterapia em comparação com a quimioterapia padrão de tratamento isolada. Estamos ansiosos para trabalhar com as autoridades regulamentares europeias para disponibilizar este importante regime de tratamento aos doentes na Europa o mais rápido possível”, acrescenta.

Além disso, foi também emitido um parecer positivo pelo CHMP recomendando a aprovação de pembrolizumab como monoterapia para o tratamento do cancro da cabeça e pescoço recorrente ou metastático em adultos cujos tumores expressam PD-L1 com um score de proporção tumoral (TPS) ≥50%, e que progrediram após tratamento com quimioterapia à base de platina. A decisão baseia-se nos dados do estudo de fase 3 KEYNOTE-040.

As duas recomendações vão agora ser revistas pela Comissão Europeia para autorização de comercialização na União Europeia (UE). Uma decisão final sobre ambas é esperada para o terceiro trimestre de 2018.

 

Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019