SWORD Health recebe prémio de inovação da Sociedade Internacional de Medicina Física e Reabilitação
SWORD Health recebe prémio de inovação da Sociedade Internacional de Medicina Física e Reabilitação

A SWORD Health acaba de ganhar o primeiro prémio de inovação atribuído pela Sociedade Internacional de Medicina Física e Reabilitação, a mais importante organização científica na área da reabilitação. A startup portuguesa venceu com a criação do primeiro terapeuta digital que combina sensores de movimento com inteligência artificial, chamado SWORD Phoenix.

 

Como principal objetivo, a competição internacional visa identificar e reconhecer o projeto mais inovador e tecnológico que consiga reduzir a incapacidade em termos de atendimento ou reabilitação, procurando melhorar a participação cívica de pessoas com deficiência.

“Para a SWORD Health, este prémio representa o reconhecimento, por parte da mais reputada organização científica da área, do trabalho que temos vindo a desenvolver e do potencial do SWORD Phoenix para revolucionar a reabilitação física. É, por isso, para nós uma enorme honra tê-lo recebido”, afirma o Dr. Fernando Correia, Chief Medical Officer da SWORD Health.

A SWORD Health é uma plataforma tecnológica pioneira que representa uma nova abordagem à fisioterapia.

Recorrendo à combinação de sensores de movimento de alta precisão com os mais recentes avanços tecnológicos na área da inteligência artificial, o principal produto da startup portuguesa, SWORD Phoenix, permite aos pacientes realizarem as suas sessões de fisioterapia em casa, com feedback em tempo real da sua performance e sempre monitorizados pela sua equipa clínica.

Ao mesmo tempo, é uma solução que permite expandir a pegada terapêutica das equipas clínicas, permitindo-lhes tratar mais doentes, com resultados clínicos sólidos, e reduzindo custos operacionais.

Desta forma, o SWORD Phoenix reduz drasticamente o custo da fisioterapia para os fornecedores de serviços de saúde, ao mesmo tempo que disponibiliza o acesso à informação mais relevante relativa à performance do paciente e o aumento da eficiência operacional das equipas clínicas.

Esta tecnologia já está a ser utilizada, atualmente, nos Estados Unidos da América, no Canadá, na Austrália, na Noruega, em Portugal, na África do Sul, no México e no Japão.

 


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019