Estudos recentes demonstram capacidade de controlo da infeção por VIH com regime de dois fármacos em doentes não sujeitos a tratamento antirretrovírico prévio
20/06/2018 15:49:30
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Estudos recentes demonstram capacidade de controlo da infeção por VIH com regime de dois fármacos em doentes não sujeitos a tratamento antirretrovírico prévio

A ViiV Healthcare anunciou hoje resultados positivos do seu programa de estudos GEMINI de fase III. Os estudos (GEMINI-1 and GEMINI-2) foram desenhados para avaliar a segurança e eficácia de um regime de dois fármacos (2DR) com dolutegravir e lamivudina comparativamente a um regime de três fármacos com dolutegravir e dois análogos nucleósidos inibidores da transcriptase reversa, tenofovir disoproxil fumarato/emtricitabina (TDF/FTC), em doentes infetados por VIH-1 não sujeitos a tratamento antirretrovírico prévio, com carga vírica inferior a 500 mil cópias por mL.

Os estudos atingiram o endpoint primário de não inferioridade, ARN de VIH-1 plasmático <50 cópias por mililitro (c/mL), um parâmetro standard do controlo da infeção por VIH, à semana 48. Os resultados de segurança para o regime de dois fármacos com dolutegravir e lamivudina foram consistentes com os respetivos RCMs. Não houve emergência de mutações de resistência em nenhum dos doentes que apresentou falência virológica em qualquer um dos braços de tratamento. Os resultados completos do estudo serão apresentados numa reunião científica futura.

Num comunicado divulgado à comunicação social, o chief scientific and medical officer da ViiV Healthcare, Dr. John C. Pottage, refere que hoje em dia "as pessoas infetadas por VIH vivem durante mais tempo e têm vidas mais produtivas". "No entanto, sob o atual standard of care, muitos doentes ainda tomam três ou mais fármacos todos os dias", sublinha.
De acordo com o especialista, "os estudos GEMINI demonstram a eficácia, segurança e tolerabilidade da associação de dolutegravir e lamivudina. Afirmam a nossa estratégia de regimes de dois fármacos e reforçam a nossa convicção de que muitos doentes podem controlar a sua doença com dois fármacos em vez de três ou mais".

É importante salientar que os estudos demonstram que este regime de dois fármacos poderá ser uma opção para doentes não sujeitos a tratamento antirretrovírico prévio, abrangendo uma população alargada de doentes que vivem com VIH no mundo”, acrescenta.

Os estudos GEMINI fazem parte do programa de desenvolvimento clínico da ViiV Healthcare para regimes de dois fármacos que visa abordar as preocupações de toxicidade a longo prazo das pessoas que vivem com VIH, reduzindo o número de fármacos utilizados no seu tratamento. Os estudos incluem na totalidade aproximadamente 1.400 homens e mulheres que vivem com VIH e estão a ser desenvolvidos em centros de investigação na Europa, América Central e do Sul, América do Norte, África do Sul e Ásia-Pacífico.

A ViiV Healthcare planeia agora submeter pedidos de comercialização para o regime de dois fármacos de dolutegravir e lamivudina no final deste ano.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019