Merck lança canetas pré-cheias com FSH + LH para facilitar tratamento de fertilidade
05/06/2018 14:42:09
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Merck lança canetas pré-cheias com FSH + LH para facilitar tratamento de fertilidade

Desde abril que ficou disponível no Serviço Nacional de Saúde (SNS) a nova caneta pré-cheia com a combinação FSH + LH, um tratamento de fertilidade utilizado em mulheres com insuficiência grave de LH e FSH, para estimular o desenvolvimento folicular. Com esta nova formulação, a Merck pretende facilitar a sua autoadministração e adesão ao tratamento, diminuir o stress associado e a probabilidade de ocorrência de erros.

Até aqui, a caneta estava apenas disponível na forma de pó e solvente para preparação de uma solução injetável.

As substâncias ativas são cópias das hormonas naturais FSH e LH, que por serem recombinantes, garantem um maior nível de pureza e consistência. Ao serem substituídas as hormonas em falta, pretende-se que nas mulheres com deficiência em FSH e LH se verifique um maior desenvolvimento folicular que permitirá recolher um maior número de óvulos, aumentando a probabilidade de ocorrência de uma gravidez de sucesso.

Num comunicado divulgado à comunicação social, o managing director da Merck Portugal, Dr. Pedro Moura, refere que "um dos pontos-chave da missão da Merck é criar vidas e com este lançamento reforçamos este compromisso. Enquanto líderes em Portugal na área da fertilidade, a Merck tem vindo sempre a inovar no sentido de acompanhar todo o ciclo reprodutivo, desde medicamentos a tecnologias inovadoras com potencial impacto positivo no projeto de parentalidade".

"É com imenso orgulho que constatamos que, nestes 20 anos, devido à experiência e aposta Merck na área da Fertilidade, já nasceram mais de dois milhões e meio de bebés”, conclui.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019