Estudo AEGIS-II: avaliação de nova terapêutica na redução de eventos CV após EAM
03/04/2018 17:43:12
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Estudo AEGIS-II: avaliação de nova terapêutica na redução de eventos CV após EAM

A CSL Behring anunciou o início do AEGIS-II (ApoA-I Event reducinG in Ischemic Syndromes II), um ensaio clínico que agora se inicia com o recrutamento do primeiro doente. Este estudo clínico irá avaliar a eficácia e segurança do CSL 112 na redução de eventos cardiovasculares precoces e recorrentes após enfarte agudo do miocárdio (EAM).

CSL 112 é uma nova terapêutica de apolipoproteína A-I de administração endovenosa que demonstrou um impacto imediato e significativo na capacidade de remoção do colesterol das artérias. O AEGIS-II irá envolver mais de 17 mil doentes recrutados em aproximadamente mil centros médicos de todo o mundo.

“O estudo AEGIS-II irá dizer-nos se a capacidade de o corpo eliminar rapidamente o colesterol das artérias poderá reduzir a taxa de eventos cardiovasculares precoces e recorrentes nos sobreviventes a um ataque cardíaco”, explica o Prof. Doutor C. Michael Gibson, M.D., M.S., professor de Medicina na Harvard Medical School e investigador principal do estudo AEGIS-II. O especialista acrescenta que “CSL 112 é uma nova e prometedora abordagem na medicina cardiovascular que pode ajudar na proteção dos doentes quando eles estão mais vulneráveis”.

CSL 112 é uma nova formulação da lipoproteína apo A-I derivada do plasma humano. Investigações demonstraram que CSL 112 tem efeitos imediatos e significativos no efluxo de colesterol na medida em que aumenta a capacidade do organismo para remover das células o colesterol em excesso. CSL 112 é a única terapêutica apo A-I a ser avaliada num ensaio
cardiovascular de fase III de larga escala.

“O recrutamento do primeiro doente para o AEGIS-II é um marco importante para o programa clínico AEGIS e para o desenvolvimento do CSL 112 como uma potencial e inovadora abordagem na prevenção de eventos cardiovasculares precoces e recorrentes em sobreviventes a um ataque cardíaco”, afirma o Prof. Doutor Andrew Cuthbertson, diretor de Investigação & Desenvolvimento da CSL Limited. De acordo com o especialista, “CSL 112 reflete o nosso compromisso em melhorar a vida dos doentes através da descoberta e desenvolvimento de terapêuticas inovadoras”.

A doença cardiovascular (DCV) é a principal causa de morte a nível mundial, sendo que, só nos EUA, existem cerca de 800 mil EAM por ano. As pessoas que sobrevivem a um EAM têm um elevado risco de voltar a ter novo evento cardiovascular precoce, sendo que na sua maioria estes ocorrem nas semanas ou meses após o evento inicial, registando elevadas taxas de mortalidade e morbilidade.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019