Infarmed aprova medicamento órfão para a DMD
06/02/2018 17:21:19
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Infarmed aprova medicamento órfão para a DMD

A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) aprovou o atalureno, o primeiro medicamento órfão para a distrofia muscular de Duchenne (DMD) e uma mutação "Non Sense", em fase ambulatória. Esta aprovação vai permitir que, logo após a confirmação do diagnóstico, exclusivamente para esta mutação, as crianças afetadas possam iniciar o tratamento que poderá permitir um alargamento da fase de marcha e uma menor degradação da massa muscular.

Depois do Reino Unido e da Itália, o tratamento, que irá permitir uma melhoria substancial da qualidade de vida e da autonomia dos doentes, é já uma realidade em Portugal. Em comunicado, a Associação Portuguesa de Neuromusculares (APN) considera que a comparticipação total deste fármaco, por parte do Serviço Nacional de Saúde (SNS), abriu uma nova era: a dos medicamentos órfãos para as doenças neuromusculares.

A APN diz estar empenhada "em participar, de forma construtiva, na criação de soluções e de caminhos, para uma diminuição significativa dos tempos de aprovação dos novos medicamentos destinados ao tratamento de doenças raras".

Desde que foram iniciados os ensaios clínicos de fase 3, a APN foi sendo informada dos resultados, estando sempre na primeira linha pela aprovação deste tratamento logo que foram conhecidas as autorizações por parte da Agência Europeia do Medicamento (EMA). 


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019