Taxa de sobrevivência ao cancro tem aumentado, afirma estudo recente
31/01/2018 17:13:27
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Taxa de sobrevivência ao cancro tem aumentado, afirma estudo recente

De acordo com um estudo publicado hoje, dia 31 janeiro, a taxa de sobrevivência ao cancro está a aumentar no mundo, estando o sucesso do tratamento intimamente relacionado com o nível de vida dos países. A investigação, com dados referentes ao período 2000-2014, analisou a taxa de sobrevivência em Portugal, que ficou entre os melhores.

Ao analisar a taxa de sobrevivência em 71 países, entre 2000 e 2014 (o que se traduz em 37,5 milhões de registos analisados), o estudo observou que em Portugal, a taxa de sobrevivência no cancro do cólon situa-se perto dos 60 %, enquanto a taxa de sobrevivência para o cancro da mama e a leucemia é cerca de 90 %, números em linha com o que se passa nos Estados Unidos e em outros países europeus.

O cancro do pâncreas continua a ser um dos mais letais, com a taxa de sobrevivência global, entre 2010 e 2014, situada entre os 5 % e os 15 %, e para Portugal entre os 10 % e os 15 %. Quanto ao cancro do pulmão, registou-se uma taxa de sobrevivência média entre 10 % e 20 %, um intervalo em que Portugal também está.

"O cancro mata mais de cem mil crianças todos os anos, principalmente em países de rendimentos baixos ou médios, onde o acesso aos serviços de saúde é muitas vezes deficiente e o abandono dos tratamentos é um grande problema", explicam os investigadores.

Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, Finlândia, Islândia, Noruega e Suécia são os países com maiores taxas de sobrevivência, segundo o estudo, publicado na revista Lancet.

Fonte: SNS


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019